Home / Maternidade / Quero engravidar / Velha demais para ser mãe? Até que ponto a idade pode interferir na maternidade

© iStock
Maternidade

Velha demais para ser mãe? Até que ponto a idade pode interferir na maternidade

por Ana Paula Sanches Publicado em 10 de novembro de 2015
701 compartilhamentos

Ser mãe depois dos 40 não precisa ser um problema... ;)

As brasileiras estão demorando cada vez mais para ter filhos. Segundo o último estudo realizado pelo Ministério da saúde, a porcentagem de mães de primeira viagem com mais de 30 anos subiu de 22,5%, em 2000, para 30,2% em 2012 – número que deve crescer ainda mais nos próximos anos.

Para os especialistas, essa “maternidade tardia” é ocasionada principalmente pela independência da mulher moderna, com interesses bem diferentes que nossas mães e avós tinham na nossa idade. Se as prioridades antes eram casar e ter filhos, as nossas envolvem ter uma carreira, conquistar estabilidade financeira e, só depois de nos sentirmos estáveis o bastante para oferecer a melhor qualidade de vida possível para nossos futuros filhos, engravidar. Muita gente, porém, acredita que a partir de determinada idade, a mulher se torna “velha demais para engravidar”. Será que isso é verdade?

Do ponto de vista educativo – tanto da mãe quanto da criança – a psicóloga Cristiane Pertusi, de São Paulo, diz que a idade não é empecilho nenhum e que a criação do filho dependerá muito mais da personalidade e dedicação da mãe do que de qualquer outro fator: “Existem estudos que mostram que mães mais velhas são calmas e seguras com a educação de seus pequenos, mas também há casos de mulheres que se tornam superprotetoras ou permissivas demais por não terem tanta energia para impor limites”, ressalta a especialista.

Um dos maiores medos das mulheres na casa dos 40 anos que pensam em engravidar é a morte. “Existe um pavor muito grande de que as crianças tenham que assumir uma grande carga de responsabilidade antes de estarem maduras o bastante devido à morte prematura dos pais”, explica Cristiane. Mas, segundo a especialista, a maior preocupação não deve ser essa – mesmo porque a morte é um fator ao qual todos estamos sujeitos – mas sim as questões biológicas, já que após os 30 anos a gravidez precisa de mais cuidados.

Os riscos de uma gravidez após os 30 anos

Devido a questões hormonais, após os 35 anos a gravidez pode se tornar mais difícil. Problemas como hipertensão, diabetes gestacional e riscos de abortos acontecem com maior incidência em grávidas com essa idade, fato que muitas vezes apressa as mulheres que desejam se tornar mães. Porém, o obstetra Vamberto Maia, do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP), explica que a gestante com mais de 35 anos não vai, necessariamente, apresentar complicações: “Os problemas de saúde se tornam mais frequentes, mas mantendo uma alimentação balanceada e tendo o acompanhamento de uma boa equipe médica, os riscos são minimizados”, atesta o médico.

Vamberto acredita, ainda, que engravidar depois dos 30 anos é perfeitamente normal e não deveria ser tratado como um tabu. “É o novo perfil da mulher, que agora quer conquistar o seu espaço e deixa ser mãe para o segundo plano. Isso, na minha opinião não é ruim: muitas vezes só encontramos o equilíbrio entre maturidade pessoal e profissional no período entre os 30 e 40 anos”, completa.

Se você ainda está na dúvida devido a alguma das questões que levantamos, o obstetra Vamberto tem uma mensagem para você: “Não desista desse sonho. Procure uma ajuda competente e que saiba entender as suas necessidades. Vá à luta!”. É possível, leitora.


​Quer ser mamãe? Então não deixe de ler:

por Ana Paula Sanches 701 compartilhamentos

você também vai <3: