Home / Bem-Estar / Saúde / Conheça as doenças de verão e previna-se

© istock
Bem-Estar

Conheça as doenças de verão e previna-se

por Alexandra Guida Publicado em 1 de agosto de 2017

Para curtir o verão sem problema nenhum!

Dias mais longos, praia, mar, piscina, festas de fim de ano. Ah, que delícia é o verão! Mas, para aproveitar tudo isso sem neura, é preciso ficar atenta. Algumas doenças chatinhas (e outras até mais perigosas) se proliferam com o calor e a umidade. Aí, já viu: vírus, fungos, bactérias e parasitas podem atrapalhar aquela viagem que você está planejando há meses. Aprenda a se prevenir contra as doenças de verão nesta página e boa praia!

Micose superficial

A micose é um tipo de infecção causada por fungos. E incomoda, né? Coceira e descamação na pele são sintomas comuns. Ocorrem porque o fungo da micose se alimenta de gordura e queratina da pele, cabelos e unhas. O contágio pode vir pelo suor do próprio corpo, toalhas e roupas de banho molhadas, areia da praia…

Previna-se: não fique com o biquíni molhado depois de voltar da praia (imagina só o paraíso quente e úmido que os bichinhos vão encontrar!) e use chinelos em ambientes públicos. Seque-se beeeeeem depois do banho, capriche nas juntas, dobrinhas e entre os dedos dos pés. Aquelas botas podem ser in-crí-veis, mas guarde-as. Sapatos muito fechados estão proibidos até que as temperaturas baixem.

+ Como cuidar dos seus pés: um dossiê completo!

Candidíase vaginal

A candidíase é causada pelo desequilíbrio do fungo Candida sp nos genitais femininos. Eles estão naturalmente presentes na flora vaginal mas, quando encontram condições favoráveis - leia-se: umidade, calor e baixa resistência - se reproduzem excessivamente e a doença se instala. Ardor ao urinar, corrimento esbranquiçado (parecendo nata de leite) e coceira são sinais de alerta. Converse com o seu ginecologista.

Previna-se: vale a regra: saiu da praia? Tire o biquíni assim que puder. Calça e calcinha não podem abafar a região genital, então, prefira modelos de algodão (o jeans não é bacana, sabia?). Alimente-se bem porque o sol de verão que você espera o ano inteiro contribui para a queda da imunidade. O tratamento da candidíase é simples - geralmente, uma combinação de antifúngicos dá cabo da história. Mas é o seu médico que vai receitá-la

+ Tire suas dúvidas sobre corrimento vaginal

Conjuntivite bacteriana

Supercomum no verão, a conjuntivite infecciona a conjuntiva dos olhos (membrana que reveste a parte frontal dos olhos e o interior das pálpebras). São sintomas: secreção amarelada, vermelhidão, coceira, dor ao olhar pra luz e aquela sensação horrível de areia nos olhos.

Previna-se: não mergulhe em locais impróprios para o banho. O contágio é frequente em piscinas sem tratamento e água poluída. Não compartilhe toalhas, travesseiros ou maquiagem com pessoas contaminadas. E lave as mãos sempre (ok, você já sabe. Mas não custa lembrar). O tratamento é feito com colírios específicos, indicados por um oftalmologista.

+ O certo e o errado na hora de lavar seus pincéis de maquiagem

Dengue

No rol das doenças de verão, a dengue é motivo de políticas públicas de saúde há anos. Os indícios da picada do Aedes aegypti envolvem febre alta, náuseas, dores de cabeça, nos músculos e articulações, perda de apetite e manchinhas vermelhas pelo corpo. A forma hemorrágica da doença é ainda mais perigosa.

Previna-se: a única maneira de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é importante acabar com os criadouros e não deixar água parada em qualquer tipo de recipiente.

Otite externa

É uma inflamação dos ouvidos, geralmente provocada pelo uso incorreto de objetos introduzidos no local (como cotonetes, por exemplo). O motivo pelo qual a otite se encaixa nas doenças de verão é que a infecção é facilitada pela entrada de água no local (bastante comum em mergulhos no mar e em piscinas), que aumenta a proliferação de germes. Os sintomas da otite incluem dor, sensação de ouvido “cheio”, calor no local e secreção.

Previna-se: contenha a vontade de passar cotonete nos ouvidos (a parte externa da orelha está liberada).

Intoxicação alimentar

No verão, geralmente, fazemos mais refeições fora de casa. É aí que mora o perigo da intoxicação alimentar. As altas temperaturas prejudicam a conservação dos alimentos, que podem contaminar quem os consome. Os sintomas da Intoxicação alimentar variam de acordo com o microorganismo que causou o distúrbio. Os mais comuns são náuseas, vômito, diarreia, sensação de febre, dor de cabeça e desidratação.

Previna-se: é fundamental o cuidado com o armazenamento e preparo dos alimentos que se consome, em especial ovos, laticínios, peixes e demais frutos do mar.

+ Hábitos que fortalecem o sistema imunológico

Ainda não acabou!

Continue com a gente

O que você precisa saber sobre mamoplastia de aumento
Temos bons motivos para você tomar banho gelado
O que acontece com o seu corpo quando você começa a comer melhor

taofeminino ♥ Pinterest

por Alexandra Guida

você também vai <3: