Home / Comportamento / Você / 8 dicas para aumentar sua autoconfiança

Comportamento

8 dicas para aumentar sua autoconfiança

por Geovana Pereira Publicado em 3 de maio de 2017

Acreditar em você mesma: hábito a se cultivar

Essa arma mágica nos encoraja a sorrir para aquele gato(a), a defender nossos interesses profissionais, a viver momentos de extremo prazer no sexo com qualquer pessoa... Resumindo, autoconfiança é essencial para ser plenamente realizada.

Como aumentar a autoconfiança? Temos dicas ;-)

Pode parecer complicado, mas podemos estimular e aumentar a autoconfiança a qualquer momento. Como? Montamos um guia especial para você, justamente, encontrar essas respostas. Ele é formado por 8 etapas elaboradas pela psicoterapeuta francesa Isabelle Filliozat.

1) Respire!

O desafio Aprender a respirar melhor é um excelente método para aumentar nossas doses de confiança. Respirando profundamente, nós, automaticamente, relaxamos todas as tensões do corpo. E nos voltamos a nós mesmos, o que significa deixar um pouco de lado os problemas externos. “Quanto mais controlamos nossa respiração, mais conseguimos fazer o mesmo com a vida”, explica Isabelle Filliozat.

Como mudar Algumas vezes durante o dia, faça uma pequena pausa para respirar. Concentre-se em seu interior. Este é o método de respiração mais eficaz, segundo a psicoterapeuta. Sentada ou em pé, com uma mão nas costas, inspire, inflando o abdome. Para ajudar, pense em um balão enchendo. A cada expiração, você se livra mais das tensões. Três minutos, de duas a três vezes por dia, já bastam. É uma prática relaxante e muito melhor do outras tentativas de se livrar do stress, como o cigarrinho e o café.

Truque extra Durante o exercício de respiração, aprendemos a nos escutar. Pergunte a si mesma: “Como estou me sentindo?”. Se o sentimento for positivo, o fato de ter consciência disso fará você se sentir bem. Caso a resposta seja negativa, você pode questionar seus porquês e, em seguida, pensar em soluções para eles, visando sempre melhorar, não piorar.

2) Ouse encarar surpresas

O desafio Cinema às sextas, sempre com o namorado. Compras de casa no supermercado mais próximo. Aos sábados, aquela faxina semanal em casa, antes de os amigos chegarem para o churrasco à noite... Pequenos hábitos, quem não tem? Estabelecer uma rotina é normal, afinal, nos garante mais segurança. Mas quando uma surpresa acontece, como você reage (uma proposta de trabalho na Tailândia, aquele cara gato do trabalho que insiste em chamá-la para sair...)? Bloqueada, ansiosa, indecisa? Sem problemas. Você fica insegura porque não tem o hábito de arriscar. E, com isso, o risco que corre é o de deixar seus desejos de lado.

Como mudar Estou com vontade de fazer o que hoje? “Esta é uma questão que devemos fazer a nós mesmos todos os dias”, afirma Isabelle Filliozat. Comece devagar: tome um café da manhã diferente, mude o caminho até o trabalho, experimente aquele restaurante indonésio que abriu perto da sua casa, troque o salto por uma rasteirinha ou vice-versa...

Truque extra Se há uma expressão que você deve banir do seu vocabulário é: “Sou uma pessoa...”. O adjetivo que definimos em seguida afirma uma personalidade que se torna quase intransponível para nós mesmos. É claro que cada um tem preferências e características mais fortes, mas elas podem ser sempre renovadas, principalmente se forem negativas.

3) Conheça seus pontos fortes

O desafio “Nossa autoestima precisa ser constantemente estimulada e reforçada”, lembra Isabelle Filliozat. Para isso, a primeira coisa a ser feita é “ter consciência de suas qualidades”. Porque todas nós temos muitas! Mesmo se, às vezes, tentamos nos convencer do contrário...

Como mudar Liste suas 20 principais qualidades (não, 20 não é muito). Todos os assuntos devem ser incluídos: amorosos, profissionais, intelectuais, esportivos, físicos, psicológicos... Se precisar, peça ajuda às pessoas mais próximas, o que também será benéfico para saber porque eles gostam de você.

Truque extra A lista está feita? Agora é hora de provar cada uma das qualidades. Escreva porque você se considera assim. Por exemplo: “sou corajosa: trabalhei seis meses em um restaurante fast-food para fazer uma viagem” ou “sou bonita: sempre sou muito paquerada nas festas”. Guarde essa listinha com cuidado – e a releia sempre que estiver baixo-astral.

4) Supere uma dificuldade por dia

O desafio Definir objetivos é ter um incentivo para agir. O bom é que, como eles são seus, você pode realizá-los quando bem entender. “A confiança em si mesmo é alcançada por meio de muitos riscos”, relata Isabelle Filliozat. Assim, “escolher um desafio por dia para vencer é uma boa estratégia para aumentar rapidinho a autoconfiança”.

Como mudar Concentre-se em objetivos coerentes e possíveis, que dependam apenas de você para acontecer, e de mais ninguém. Esqueça ideias do tipo “Esta noite, o sósia do Brad Pitt vai me pedir em casamento” ou “hoje meu chefe vai confiar a mim a melhor conta da empresa”. Fale sempre e unicamente na primeira pessoa do singular (eu).

Exemplo: uma colega a convida para o aniversário dela. É muito gentil, você se anima, mas logo começa a se desesperar: você não vai conhecer ninguém e já começa a transpirar só de pensar na ideia de passar a noite toda sozinha, como uma encalhada. Em vez de desistir de vez e dar uma desculpinha furada, do tipo “meu cachorro está doente, desculpe”, limite alguns objetivos para aquela noite:

+ “Vou puxar conversa com alguém durante a noite”
+ “Devo falar com todas as pessoas que estiverem de óculos”
+ “Vou me enturmar numa roda de amigos que está conversando”

Bem, mas esta lista é com você. Só não exagere para não ficar exausta por conta de tantas metas a cumprir...

Truque extra A medida em que for cumprindo os objetivos, aumente os níveis de dificuldade de suas pequenas tarefas. Depois de um “vou a uma festa onde não conheço ninguém para dançar muito e conhecer gente nova”, tente um “vou entrar em uma loja de luxo e experimentar todas as roupas que tiver vontade” ou “chegar no trabalho amanhã e dizer ao meu chefe tudo o que penso sobre ele” (não, não... esta última parte é brincadeira!)

5) Afirme suas vontades

O desafio Dizer “não” é ousar defender seus desejos e necessidades próprias. Quando aceitamos tudo, principalmente sem vontade, o fazemos por medo de desapontar os outros. Uma prática que começamos na infância, quando obedecemos nossos pais em busca de afeição e consentimento. Entretanto, negar também mostra quem a respeita de verdade, mesmo quando as opiniões são contrárias. Isso é muito importante em qualquer relação.

Como mudar Para começar devagar, mude de ideia uma vez em que já disse “sim” para algo. Essa é também uma marca de inteligência. “Todos somos admirados e respeitados quando sabemos a maneira e hora certa de mudar de opinião”, explica Isabelle Filliozat. Mas, claro, não abuse, ou mostrará uma indecisão exagerada.

Treine em situações simples, que não trarão muitas consequências. Fazendo compras, por exemplo. Em uma padaria, peça alguns pães franceses, mas, dali alguns minutos, diga “não, desculpe, mas acredito que vou levar apenas uma baguete”. Depois de certa prática, passe para situações mais sérias, como no trabalho. A ideia que você defendeu como genial no dia anterior pode parecer fraca agora, depois de algumas reflexões. Comunique a equipe. Afinal, é para isso que você é paga, não?

Truque extra Ofereça a si própria um dia “sem limites”, no qual vá fazer tudo o que os outros consideram errado (seus pais, a sociedade, seu namorado). Alguns exemplos: passe o dia todo relaxando na banheira, coma todas as bombas de chocolate que tiver vontade, compre finalmente aquela bolsa dos sonhos... O objetivo é “atravessar o período infantil de oposição” e liberar simbolicamente todas barreiras interiorizadas até hoje.

6) Não tenha vergonha da sua personalidade

O desafio Roupas, opiniões, preferências musicais... Existem tantos aspectos que tendemos a copiar dos outros, conscientemente ou não (igual nossa família, nosso meio social, nossa faixa etária). O medo: ser rejeitado e julgado pelo grupo. “Mas nunca é tarde para procurar e mostrar sua personalidade”, explica Isabelle Filliozat.

“Quando nos sentimos fiéis a nós mesmas, nos tornamos muito mais confiantes”.

Como mudar Destaque-se entre as pessoas! Todas as ocasiões são propícias. No restaurante, todo mundo escolheu o mesmo prato? Peça outro. A sua família sempre passa as férias na mesma praia? Este ano, faça as reservas em outra e depois anuncie a eles.

Truque extra Brinque com a sua imagem. Fique horas na sua loja preferida e experimente tudo o que tiver vontade, mesmo aquelas roupas que você nunca teve coragem de usar. Surpreenda a si mesma!

7) Saiba que é capaz

O desafio “Ser autoconfiante não significa saber e conseguir fazer tudo”, alerta Isabelle Filliozat. E sim, “se achar capaz de fazer ou aprender” o que nos pedem ou desejamos. Resumindo, não é questão de ser ou não competente, mas de convencer a si mesma que é capaz de vencer.

Como mudar “Se não sei fazer, posso aprender”: uma frase que você nunca deve esquecer. Ela vai ajudá-la, principalmente, a parar de pensar que não pode fazer nada. Para aprimorar suas qualidades, Isabelle Filliozat indica a técnica do “como se”. Quando estiver em uma situação que a deixa bloqueada, comporte-se “como se” já soubesse fazê-la.

Exemplo: sua paquera da noite a convida para dançar. Mas há um pequeno probleminha: dança e você são duas coisas que nunca se deram muito bem. Normalmente, você recusaria com educação, pensando em começar um curso ainda naquela semana. Mas faça diferente dessa vez. Finja que sabe dançar. Se jogue na pista, observe e aprenda. A mesma coisa no trabalho: você começa a suar só com a ideia de usar o Photoshop? Dê uma espiada no seu colega ao lado, anote e imite como ele faz. Se ele consegue, por que você não conseguiria?

Truque extra Não tenha medo de errar. É com nossos erros que aprendemos mais.

8) Puxe papo com alguém

O desafio Você quer confiar mais em si mesma apenas para ser sociável? “As pessoas que se sentem à vontade em todos os lugares não são necessariamente mais inteligentes e cultas do que outras. Elas parecem mais ‘amigáveis’ porque ousam se socializar melhor e não têm problemas em se aproximar de desconhecidos, puxar papo”, lembra Isabelle Filliozat.

Como mudar A tática mais simples quando queremos nos aproximar de alguém é oferecer ajuda (aos vizinhos, quando chegam cheios de compras em casa, ao colega de trabalho que está com dificuldades, à dona da casa durante um jantar). Não é necessário mover mundos e fundos para chamar atenção. Um pequeno favor já fará você parecer mais simpática aos olhos dos outros.

Lembre-se também de olhar as pessoas diretamente nos olhos. “O contato visual é muito importante” para estimular uma conversa franca e segura, diz Isabelle Filliozat.

Truque extra Ao menos três vezes por dia, dirija-se a um desconhecido no meio da rua. Para perguntar a hora, o caminho... Nada pode ser mais simples para aumentar a autoconfiança aos pouquinhos, diariamente.

Ainda não acabou

Continue com a gente!

Hábitos que boicotam sua autoestima
Dicas para uma vida mais autêntica
Procrastinação: como parar de deixar tudo para depois

taofeminino ♥ Pinterest

por Geovana Pereira

você também vai <3: