Home / Comportamento / Carreira / Como pedir aumento sem constrangimentos? Desafio aceito!

© iStock
Comportamento

Como pedir aumento sem constrangimentos? Desafio aceito!

by Monique Garcia Published on 23 de junho de 2015

Pode confiar, o taofeminino te dá o caminho das pedras... ou melhor, do sucesso! ;)

Os batimentos cardíacos ficam acelerados e a ansiedade toma conta. Chegou o momento que você tanto matutou sobre nos últimos meses. Suor, muito suor (...) Pode até parecer um dramalhão mexicano, mas tudo isso é “apenas” um compilado do turbilhão que chacoalha nossas cabeças quando o assunto é como pedir aumento no trabalho. “Nesse caso, a autoestima do funcionário está em jogo. Ele pode se sentir mal por não receber essa recompensa espontaneamente como reconhecimento de seu empenho e, ao mesmo tempo, tem receio de que sua solicitação seja mal interpretada, principalmente por conta da crise que vivemos atualmente”, explica Marisa Godoi, sócia-diretora da Êxito Gestão de Carreira (SP). Apesar de ser uma questão delicada, ela pode ser tornar bem mais leve com a nossa ajuda! Trace o roteiro a seguir e as chances de se dar bem se elevarão à mááááxima potência...

1º passo: plante hoje para colher amanhã

Cresça e apareça! Uma boa maneira de preparar o terreno para pedir um aumento salarial é sempre se antecipar às necessidades de seu departamento. “Esteja atenta a possíveis maneiras de ampliar suas responsabilidades, aumentar a contribuição e melhorar os resultados. Demonstre interesse e verifique com seus gestores se há treinamentos (oferecidos ou não pela empresa) para adquirir novas competências e habilidades”, sugere Heloisa Machado, diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos (SP). E lembre-se: isso deve ser colocado em prática todos os dias – e não só porque você almeja dar um up no salário, ok? “Não cometa também o erro de exigir um aumento para só posteriormente mostrar suas qualidades. A regra é outra: exiba seus talentos e a diferença que você faz no grupo, e só depois faça suas reinvindicações”, afirma Marisa Godoi. E lembre-se: fale, mas faça. Você será avaliada por suas entregas, e não por suas intenções.

2º passo: avalie a situação econômica da empresa

De nada adianta sonhar acordada com um aumento se a empresa em que trabalha está passando por uma fase difícil, er, monetariamente falando. Por isso, antes de pular para a próxima etapa, cheque se suas intenções são viáveis. “Tenha bom senso. Se o local está fazendo cortes e adotando sérias medidas para reduzir custos, um pedido como esse, nesse momento, não é cabível”, alerta Marisa Godoi. Ter sensibilidade para reconhecer a capacidade financeira da companhia é imprescindível para que não seja visto pela chefia como uma pessoa “desengajada”.

3º passo: faça uma autorreflexão. “Por que mereço um aumento?”

Você seguiu nossas dicas à risca e chegou ao centro do tabuleiro. Mas você não pode avançar mais casas antes de fazer a pergunta-chave acima. E aí, você está com moral para recebê-lo? Para encontrar a resposta, é importante colocar na balança as suas competências, habilidades, atitudes, contribuições, evoluções e, claro, seu tempo de casa (o ideal é aguardar um ano para ter essa conversa). Tem sido bastante elogiada pelo seu desempenho? Ótimo – porém, isso não é necessariamente um fator determinante para ganhar o jogo. “Nem sempre os elogios têm uma régua de avaliação uniforme, e bater muito nessa tecla pode levar a uma interpretação negativa sobre seu profissionalismo”, comenta Heloisa Machado. Outro ponto importante é conhecer bem o plano de carreira que a instituição possui. O local pode contar com uma política de remuneração clara e, muitas vezes, reserva, lá na frente, um reajuste salarial para você. E vamos combinar que não pega nada bem bancar a apressadinha e atropelar os planos da empresa, certo?

4º passo: tá, mas... Qual será o meu reajuste?

Quem bate o martelo para definir o aumento percentual do salário é o gestor e/ou o departamento de recursos humanos da organização. No entanto, você pode, sim, ter em mente um valor mínimo para negociar. Para criar referências e ter repertório, faça uma pesquisa das remunerações praticadas pelo mercado que sejam compatíveis com seu cargo. Mas não se esqueça: “Elas obedecem às leis de mercado e de equilíbrio interno”, ressalta Heloisa Machado. Então, pegue leve e não estabeleça valores utópicos.

5º passo: agende uma reunião com a chefia

Nem pense em fazer a abordagem via Whatsapp, SMS ou durante encontros aleatórios no bebedouro. Aparecer na sala do(a) chefito(a) sem avisar também está fora de cogitação. Envie um e-mail e pergunte qual é a melhor data e horário para conversarem, deixando claro que o assunto é bastante relevante para si – enquanto isso, muna-se de argumentos sólidos e dados de sua evolução para quando a hora chegar.

6º passo: é agora ou nunca!

Vamos aos negócios, pero sin perder la ternura: crie um ambiente favorável para discutir sobre esse delicadíssimo assunto sem riscos de desgastar o relacionamento com seu superior. Aqui, a dica é ter postura, reforçar a importância do tema para si mesma, apontar suas contribuições (leve para a reunião alguns dados e exemplos), falar sobre suas expectativas e mostrar o quanto gosta do que faz. Durante a conversa, para criar uma interação, pergunte a ele(a) se concorda com a proposta que você está trazendo, por exemplo – e fique com as anteninhas alertas a todo momento para observar suas reações. Outro toque de Heloisa Machado é evitar fazer comparações com os salários de terceiros, ou seja: exponha o que a move individualmente para o pedido de aumento salarial. Comparações, geralmente, criam um distanciamento que definitivamente não é nada benéfico. “Outra péssima ideia é fazer ameaças de sair da empresa ou deixar de cumprir suas tarefas caso o pedido seja declinado. Seja verdadeira, honesta e, acima de tudo, respeitosa com o outro”, recomenda Marisa Godoi.

7º passo: se o seu gestor disse...

SIM: e aí, já marcou o bar com as amigas para comemorar? O ato de reconhecer os ganhos e saber agradecê-los é fundamental. Estabeleça compromissos para dar continuidade a essa relação de “parceria” e coloque-se à disposição para crescer cada vez mais na empresa. Acomodação é uma palavra que deve passar longe da sua rotina: triplique o interesse e a dedicação, sempre peça feedbacks, contribua com o trabalho em equipe e, se possível, assuma novas responsabilidades. “Caso o aumento seja inferior ao que esperava, agradeça e cheque se outros benefícios, treinamentos ou novos projetos que lhe desafiem e agreguem conhecimento podem ser oferecidos”, sugere Heloisa Machado.

NÃO: fale sobre suas expectativas para que o aumento aconteça no futuro, assim como as razões pelas quais ele é importante para você. Pergunte quando podem voltar a conversar sobre o assunto e continue fazendo o seu melhor. Passou-se um tempão e não teve nenhum retorno? Tem a constante sensação de que não está sendo reconhecida por seu trabalho? Se considera apta para outros desafios? Chegou a hora, então, de entregar seu currículo nas mãos certas e embarcar em nova uma oportunidade!

O sucesso te espera aqui:

by Monique Garcia

você também vai <3:

por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino