Home / Maternidade / Filhos / Por que não obrigar seu filho a dar beijo?

© iStock
Maternidade

Por que não obrigar seu filho a dar beijo?

by Redação taofeminino Published on 31 de março de 2017
A-
A+

As estatísticas são graves: uma em cada cinco crianças sofrem abuso sexual antes da maioridade. Uma das recomendações para proteger seu filho é saber que desde a infância o corpo dele pertence a ele e ele define os limites – valem também demonstrações de afeto desejadas e indesejadas, como cumprimentar com beijo. Embora pareça insignificante, é mais importante do que você pensa. Traduzido por Juliana Couto

A cada dez abusos, sete são direcionados a crianças. Sete em cada dez abuso sexual ocorre em crianças. É uma informação assustadora o suficiente para não deixar pais indiferentes, especialmente porque a maioria dos abusos ocorre em ambientes confiáveis ​​para pais ou criança: ou a família de um com outros em que, a princípio, a criança deveria estar segura. As consequências do abuso para uma criança são terríveis: ansiedade, depressão, sentimento de culpa, distúrbios alimentares, problemas de desajuste social, insucesso escolar, abuso de substâncias, tentativas de suicídio.

O corpo é da criança

Desde a mais tenra idade a criança deve estar ciente de que seu corpo pertence a ela e que ninguém pode forçá-la a fazer algo que não queira. Toda criança tem o direito à privacidade, por exemplo, querer tomar banho sozinho ou trocar de roupa sem ser observado. E também pode se recusar a beijar alguém (conhecido ou desconhecido). No entanto, os adultos normalmente "forçam” a cortesia, pedindo que eles beijem estranhos mesmo quando elas dizem que não. No entanto, existem muitas maneiras de dizer “oi” educadamente e sem contato físico. Se a criança não quiser tê-lo, deve ser respeitada. Nem deve ser repreendida quando impedir que um adulto lhe faça cócegas ou tente lhe abraçar. Essa é uma forma de internalizar que ela, criança, tem poder sobre seu corpo e ninguém pode forçá-la a algo que não queira. É uma maneira de prepará-la para dizer "NÃO" se estiver em risco de abuso.

Uma conversa muito difícil

Possivelmente, uma das conversas mais difíceis que você terá com seus filhos. Como você diz que algumas pessoas podem abusar delas sem quebrar o mundo mágico da infância? É difícil e muito difícil, mas você deve fazer e quanto mais cedo, porque o abuso sexual pode começar muito em breve. Uma em cada cinco crianças que sofre é inferior a 9 anos. Para ajudá-lo, você pode seguir algumas dicas, como a “Regra de Kiko” (ou a regra “Aqui Ninguém Toca”, por meio da qual pede-se permissão para tocar o corpo da criança, ensinando-as sobre permitir qualquer tipo de contato físico), que ensina você a definir orientações claras que irá endossar os seus filhos a se protegerem do abuso sexual.

Embora você ensine seus filhos, você deve ficar sempre vigilante e estar atento a alguns sinais de comportamento: se o seu filho for deixado sozinho com um adulto e aparecer de repente em algum momento; observe seu comportamento momentos antes de deixa-lo e assim que reencontrá-lo. Infelizmente, quando vítimas de abuso sexual, 90% das crianças não costumam contar a ninguém, por isso, não recebem a ajuda de que necessitam. Tente manter seu filho sempre diálogos saudáveis e sem tabus. Se você proporcionar a ele segurança e autoestima, ele estará mais propenso a saber se proteger.

Ainda não acabou! Continue com a gente!

Empoderamento feminino, 16 frases inspiradoras
Enurese infantil: como ajudar as crianças a não fazer xixi na cama à noite

taofeminino ♥ Pinterest

by Redação taofeminino

você também vai <3: