Home / Comportamento / Você / O que acontece quando temos uma irmã completamente diferente da gente

© iStock
Comportamento

O que acontece quando temos uma irmã completamente diferente da gente

by Marina Felix Published on 4 de maio de 2016

Nós temos os mesmos pais e... Bom, é basicamente aí que acabam as coisas em comum

É piada interna na minha família dizer que, quando minha irmã nasceu, eu estava mais do que “emocionada”. Eu tinha só três anos quando meus pais chegaram do hospital, vieram mostrar minha nova irmãzinha e eu reagi como qualquer criança que acaba de se dar conta da competição que está por vir: dei um tapa nela. Sem brincadeira, dei as boas-vindas à minha irmã recém-nascida com um tapa!

Apesar deste início um tanto quanto trágico, minha irmã e eu sempre fomos muito próximas. Mas nós também sempre fomos muito diferentes! Nossos pais até acham assombroso como eles puderam criar dois seres humanos tão... avessos.

É claro que quando estamos juntas, não há dúvidas de que somos irmãs, tanto pela aparência, quanto pelo senso de humor – parecemos reflexo do espelho de tão iguais! Mas todo o resto, desde o jeito como nos vestimos até o modo como vivemos a vida, é oposto. E conforme vamos ficando mais velhas, nos tornamos ainda mais diferentes e a dificuldade de encontrar nossas “coincidências” se torna cada vez maior.

Se você tem uma irmã que é totalmente diferente de você, você sabe exatamente como é complicado...

cena de Lilo & Stitch Lilo babando no braço da irmã

1. Ter em mente que ela não vai se empolgar tanto quanto você pelas mesmas coisas

Quando minha irmã me ligou animadíssima para dizer que começou um curso de estudos matemáticos, quase não acreditei. Mas, né? Sendo uma boa irmã, fingi a mesma empolgação. Quando eu trouxe um par de sapatos fofíssimos que consegui em um brechó e dividi a novidade, ela só acenou. Não estava nem um pouco impressionada. Contudo, eu pacientemente ouvi sobre o drama que veio em seguida com as centenas de exercícios diários que ela tinha que fazer (longe de mim, de preferência).

2. Saber que vai ter que explicar a razão de tudo que faz

Eu não consigo entender por que minha irmã faz as coisas que ela faz. Por que ela decora a casa para a Páscoa se ela nem é religiosa? Eu não sei. Por que ela passa o dia inteiro preocupada com o dia seguinte? Eu não sei. Só sei que quando eu ligo contando que vou fazer uma nova tatuagem, ela quer saber o porquê. Nós sempre temos que explicar nossas escolhas uma para a outra.

cena de 10 coisas que odeio em você irmãs discutindo

“De que planeta você veio?”

3. Nunca poder decidir qual presente dar para os pais

Todo Natal, eu quero dar de presente para os meus pais algo como aulas de dança ou uma reserva em um restaurante que eles nunca foram. Enquanto isso, minha irmã, que sabe como eles não gostam de sair da zona de conforto, nos faz comprar um cartão presente para o mesmo restaurante TODO ANO. Embora eu saiba que vai sempre terminar igual, nós entramos na pirraça pelo maldito presente por uns três meses até chegar a data.

4. Passar as férias juntas

Não é que não nos damos bem ou não nos divertimos, é só que o fato de uma de nós querer acampar na montanha e a outra querer ir para Paris, por exemplo, torna as coisas meio difíceis. Com certeza, as duas viagens são maravilhosas em suas ~maravilhosidades~, mas é complicado achar um destino meio termo legal para personalidades tão diferentes!

5. Se preocupar se a outra está tomando as decisões certas

Minha irmã tem total certeza de que se eu não procriar, serei uma pessoa sozinha para sempre. Isso é algo que assombra a alma dela. Ela se preocupa por eu não querer filhos, principalmente pelo fato de a nossa infância ter sido bacana. Eu, por outro lado, super me preocupo com o estilo de vida 100% caseiro dela, nunca ter experimentado a vida fora da cidade em que nascemos.

tina fey fingindo cortar a cabeça enquanto amy poehler não entende nada

6. Lidar com picuinha o tempo todo

Minha irmã e eu nos damos muito bem. Mas, por sermos insanamente opostas, temos pequenas tretas o tempo todo. Não conseguimos concordar em algo, constantemente precisamos da nossa mãe para ser a mediadora e algumas vezes nossas brigas levam a argumentações complexas - e sempre sobre as coisas mais ridículas. Não há ninguém no mundo que mais pegue no meu pé como minha irmã (e vice e versa, admito).

7. Só é preciso sorrir e superar

Minha irmã e eu podemos ter saído do mesmo saco, mas ô saco diversificado, viu? Ela sempre vai perguntar por que, enquanto eu vou sempre responder com um “por que não?” Nunca vou entender a necessidade que ela tem de ser a melhor em tudo e ela nunca vai entender minha necessidade de experimentar coisas novas o tempo todo. Mas ela sabe como é. E eu apoio a causa dela. Nós mantemos olho aberto, uma na outra, e nos desafiamos de forma que muitas irmãs não fazem. Nós somos sortudas no fim das contas! <3

Este texto foi escrito por @mrnblckdrss e editado por @cicaarra

Não acaba aqui!

by Marina Felix