Home / Beleza / Cabelos / Um problema chamado frizz (e várias táticas para acabar com ele)

© Getty Images
Beleza

Um problema chamado frizz (e várias táticas para acabar com ele)

by Monique Garcia Published on 26 de outubro de 2015

Decretamos guerra aos fios rebeldes! E, cá entre nós, estamos bem munidas: tire a prova em nosso arsenal de cuidados contra o inconveniente

Não é um conto de terror, mas a história, ainda assim, é de arrepiar, literalmente. O frizz, um dos principais aborrecimentos capilares da ala feminina, faz vítimas de todos os tipos de madeixas e está bastante relacionado à saúde delas. “Quando danificadas, as escamas dos fios ficam abertas, facilitando a perda de nutrientes e tornando o cabelo ressecado, quebradiço e, consequentemente, eriçado, já que não consegue manter o sentido correto do crescimento”, discorre Angélica Pimenta, dermatologista e tricologista (SP). Os vilões? Secadores, chapinhas, procedimentos químicos e até mesmo as condições climáticas (sol, vento, umidade ou a falta dela) debilitam a cabeleira.

A boa notícia é que essa trama pode ter um final feliz. No dossiê a seguir, ensinamos o caminho para você definitivamente excluir o frizz do seu hall de preocupações. Spoiler: é fácil, fácil!

No banho

Manter o cabelo condicionado é a melhor arma para domar o frizz. Por isso, na hora da lavagem, que deve ser feita em dias alternados, prefira usar xampus hidratantes e antifrizz no lugar dos detergentes. “Eles removem a proteção natural dos fios, tornando-os vulneráveis a danos externos”, avisa Valcinir Bedin, tricologista e presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo (SP). Finalize com condicionador, deixando-o agir no comprimento durante três minutos, e enxague-o completamente, sem deixar resíduos. “Use água morna ou fria. A temperatura quente desidrata", fala Erick Omar, dermatologista e tricologista da AE Skin Center (SP). Hidratações semanais em casa também são muito bem-vindas.

Secagem

Remova a umidade dos fios sem esfregá-los na toalha – essa fricção, que aumenta a eletricidade estática, é um belo convite para o frizz dar as caras. “O ideal é amassá-los levemente para tirar o excesso de água”, ensina Angélica Pimenta. Ah, e escolha um tecido bem absorvente e “fofo” para secar a juba, combinado?

Se você é adepta do secador, opte por um modelo emissor de íons negativos, que equilibra a carga elétrica do fio, sela as cutículas e dá brilho. “Mas evite usá-lo em altas temperaturas, que causam danos e retiram a proteção natural”, lembra Valcinir Bedin. Antes, não se esqueça de espalhar um protetor térmico, que forma uma espécie de escudo contra o calor emitido pelo equipamento, também responsável pelo frizz.

O pente certo

“Dispense o pente de plástico e substitua-o por um modelo de madeira com dentes largos”, recomenda Erick Omar. Ele não conduz eletricidade e, consequentemente, evita que os fios se rebelem. Penteie-os delicadamente, desembaraçando primeiro as pontas e só depois o restante do comprimento. Outra dica é não escovar o cabelo excessivamente - isso pode ativar o frizz.

Finalização

De acordo com Erick Omar, leave-ins, reparadores, óleo de argan, mousses e géis fixadores são alguns dos melhores finalizadores para assentar o frizz. Para cabelos lisos, Anna Paula Santos, hairstylist do Walter’s Coiffeur Rio Sul (RJ), indica produtos fluidos ou em gel. “Já os cacheados se beneficiam mais de veículos em creme ou mousse”, recomenda. Os ondulados, por sua vez, se adaptam melhor a séruns ou sprays.

Na hora de dormir

Recorrer a cosméticos noturnos duas vezes por semana é uma boa medida para controlar os fios que desafiam a gravidade. “Seu efeito é potencializado, pois, durante o sono, o cabelo não está exposto à ação do sol e do vento, por exemplo”, justifica Valcinir Bedin. Vale, ainda, revestir o travesseiro com uma fronha de cetim ou seda. Parece besteira, mas, essa escolha, segundo Angélica Pimenta, impede o frizz desencadeado pelo atrito contra o utensílio ao longo da noite.

No salão

Além de hidratações quinzenais no salão, a cauterização, que deve ser feita mensalmente, é um dos melhores tratamentos para reduzir o frizz. “A fibra capilar recebe componentes que, quando ausentes, resultam em deficiências que levam ao problema”, resume Anna Paula Santos. O procedimento acontece em três etapas:
1ª - Inserção de proteínas de acordo com a necessidade do fio;
2ª – Selamento das cutículas e redução do grau de porosidade com o controle e equilíbrio do pH;
3ª – Reposição da emoliência e alinhamento da superfície da fibra, que confere brilho e maciez.

Acessórios que disfarçam

Bandanas, chapéus, lenços, faixas de tecido... Abuse deles sem medo de ser feliz! Além de esconderem o frizz, deixam o visual bastante estiloso.

Tropa antifrizz

Os melhores produtos para combater o problema:

Dercos Shampoo Nutrirreparador, Vichy, R$ 67 © Divulgação

Continue com a gente:

by Monique Garcia