Home / Lifestyle / Cultura / 5 museus incríveis (e menos óbvios) em Paris

© Getty Images
Lifestyle

5 museus incríveis (e menos óbvios) em Paris

by Redação taofeminino Published on 24 de março de 2017
A-
A+

Tem bastante tempo na Cidade-luz ou já conhece as atrações principais? Sortuda, essa lista é pra você. Por Mirela Mazzola

Ah, Paris... Como se não bastasse ser maravilhosa, a Cidade-luz também tem atrações capazes de levar qualquer apaixonado por arte e História ao êxtase. Museus imperdíveis, como Louvre, d´Orsay e Pompidou, parques com jardins impecáveis e a torre mais famosa do mundo dividem espaço com palácios, catedrais e monumentos que contam a história da França (e da Europa).

Se você já teve a chance (e a sorte) de passar pelo roteiro obrigatório, considere esses 5 museus parisienses que também podem ser inesquecíveis.

Musée de l'Orangerie

Não visitar este museu, mesmo que tenha pouco tempo em Paris, é quase uma pena: ele fica perto de atrações obrigatórias, como a Place de la Concorde e os museus do Louvre ("lar" da Mona Lisa) e d'Orsay e, literalmente, dentro de um dos parques mais bonitos da cidade, o Jardin des Tuileries. A construção, compacta, permite uma visita linear e relativamente rápida. A joia guardada aqui dentro é o conjunto de painéis Nymphéas, do mestre do impressionismo Claude Monet.

Trata-se de oito pinturas retangulares de 1,97m de altura e comprimentos diferentes (a maior com 17m), e que retratam as ninfeias do jardim do artista, na cidade de Giverny, na Normandia. As salas ovais e banhadas por luz natural em que estão as as obras foram construídas exclusivamente para abrigá-las.

A série monumental foi o presente de Monet para a França em razão do armistício pós-Primeira Guerra Mundial, em 1918, como um símbolo da paz. Ela foi instalada no l'Orangerie em 1927, poucos meses depois da morte do pintor.


Quer curte arte (e beleza!) fica deleitado pelas pinceladas abstratas, e que no conjunto dão forma a jardins moldados pela luz, característica do movimento impressionista. Dá para ficar um bom tempo ali, imerso entre os painéis coloridos e, ainda, visitar o resto do acervo, com obras de Matisse, Picasso, Renoir e Cézanne.

Quer ter uma ideia? O site do museu oferece uma visita virtual.

​Serviço: 1 Place de la Concorde, Jardin des Tuileries (estação Concorde, linhas 1, 8 e 12 do metrô), 9h/18h (fecha às terças), 9 € (grátis para menores de 18 anos e no primeiro domingo do mês), www.musee-orangerie.fr.

Musée Marmottan Monet

Se sua visita a França não incluir Giverny (a cerca de uma hora de trem de Paris, onde está a casa do artista, os famosos jardins e a ponte japonesa), é possível ter uma boa dose de Monet visitando o Museu Marmottan.

No bonito prédio – um antigo pavilhão de caça, que se tornou propriedade da família Marmottan para guardar suas obras de arte – está a mais importante coleção de pinturas de Monet do mundo. Além do acervo da família (hoje pertencente ao Estado francês), há doações do filho e do médico de Monet. Há ainda obras de Renoir, Gauguin e Degas, entre outros.


Lembrando que, para visitar o Marmottan, é melhor se programar: ele fica na periferia "chique" de Paris, perto do bosque Bois de Boulogne, onde também está a Fundação Louis Vuitton. Ir, voltar e conhecer os arredores, uma região bem charmosa, pode render o dia todo.


Serviço: 2 Rue Louis Boilly, 75016 (estação La Muette, linha 9 do metrô), 10h/18h (fecha às segundas, qui. até 21h), 11 € (7,50 € para menores de 18 anos e estudantes menores de 25), www.marmottan.fr.

Fundação Louis Vuitton

De longe a mais nova atração da nossa lista, a modernosa Fundação Louis Vuitton foi inagurada em 2014 com projeto de Frank Gehry, o bombado arquiteto canadense.

O prédio reproduz um barco de sete velas em meio ao parque Bois de Boulogne.

Destinada a arte contemporânea, a fundação abriga a coleção particular de Bernard Arnault, o proprietário da Louis Vuitton, e recebe intensa programação, entre mostras temporárias, concertos e apresentações de dança. Vale se informar antes de programar a visita.

Serviço: 8 Avenue du Mahatma Gandhi, Bois de Boulogne, 75116 (estação Les Sablons, linha 1 do metrô), 12h/19h (fecha às terças, sex. até 21h, sáb./dom. 11h/20h), 14 € (10 € para estudantes e menores de 26 anos,5 € para menores de 18 anos), www.fondationlouisvuitton.fr.

Musée du Luxembourg

O primeiro museu francês aberto ao público, em 1750, fica em um dos lugares mais aprazíveis de Paris (e por onde quase certamente o turista vai passar), o parque Jardin du Luxembourg. Essa maravilha verde começou a ser construída em 1612 e é coroada pelo lindo Palais du Luxembourg, onde fica do Senado francês.

Ele fica pertinho do bairro chique de Saint Germain de Prés e, como outros parques da cidade, é ideal para um piquenique regado a vinhos e queijos franceses comprados no supermercado mais próximo.

O museu é pequeno e recebe principalmente boas mostras temporárias (veja a programação aqui), então vale dar uma olhada antes de visitar o jardim. Ao lado do museu, há uma filial da famosa casa de chá e pâtisserie Angelina.

Serviço: 19 Rue de Vaugirard, 75006 (estação Saint Sulpice, linha 4 do metrô, ou Mabillon, linha 10), 10h30/18h (sex. a dom. até 19h), 12 € (8,50 € para menores de 25 anos e grátis para menores de 16), museeduluxembourg.fr.

Hôtel des Invalides e Musée de l'Armée

Impossível passar pela história da França sem falar em Napoleão Bonaparte. Mas você já parou para pensar onde ele foi sepultado? Pois saiba que o imponente caixão do imperador fica em uma atração bastante visitada em Paris, o monumental Hôtel des Invalides, construção erguida no século 17 para abrigar os veteranos das tantas guerras que a França participou.

O túmulo de Napoleão fica sob a cúpula dourada da igreja que fica na entrada do prédio.

Onde antes ficavam os veteranos e feridos de guerra hoje está o Museu das Armas, um passeio pela história dos conflitos franceses, com direito a uniformes ricos em detalhes, artefatos ornamentados e até o cavalo branco de Napoleão empalhado. É bem bacana ver como a estratégia e as armas se desenvolveram ao longo do tempo!

O acervo também conta com algumas pinturas, como esse retrato de Napoleão Bonaparte, pintado por Jean-Auguste-Dominique Ingres em 1806.

Serviço: 129 Rue de Grenelle, 75007 (estação Invalides, linha 8 do metrô), 10h/18h (fecha 17h de 1/11 a 31/3), 11 € (grátis para menores de 18 anos), www.musee-armee.fr.

BÔNUS: Cimentière du Père Lachaise

Ok, você pode achar um pouco mórbido a gente sugerir um passeio no cemitério. Mas em que outro lugar é possível encontrar, juntos, Jim Morisson, o cultuado vocalista do The Doors, Edith Piaf, Oscar Wilde e Honoré de Balzac?

Sem contar que o Cemitério Pére Lachaise está entre as atrações mais visitadas da capital francesa (além de ser considerado o cemitério mais famoso do mundo). O passeio por lá pode ser agradável e há mausoléus e esculturas que são verdadeiras obras de arte.

O excêntrico túmulo do escritor irlandês Oscar Wilde, por exemplo, teve que ser envolto em uma redoma de vidro para que não fosse mais beijado com batom por seus admiradores.

E o de Jim Morrison quase virou um problemão para a administração do cemitério, já que seus fãs fizeram do túmulo um ponto de peregrinação (onde bebiam e usavam drogas). Parece que hoje o contratempo está controlado.

O cemitério é imenso, mas a administração dá um mapinha com os principais pontos (ou túmulos) de interesse na entrada.

Serviço: 20 Rue du Repos, 16, 75020 (estação Invalides, linha 8 do metrô), 9h/17h30 (1/11 a 15/3, até 18h de 15/03 a 31/10), grátis.

Não vai embora, não...

Veja também: Mansões de luxo pelo mundo

Mais em Cultura

Musical Os Miseráveis em cartaz em SP. Saiba mais sobre a obra que o inspirou!
20 filmes motivadores que te animarão a cumprir seus sonhos
‘Aladdin’ também terá live-action, e com atores do Oriente Médio!

taofeminino ​♥ Pinterest

by Redação taofeminino

você também vai <3: