Home / Maternidade / Filhos / Como promover o apego emocional na sua família?

© iStock
Maternidade

Como promover o apego emocional na sua família?

by Redação taofeminino Published on 14 de outubro de 2016

Pais felizes, filhos felizes? Saiba mais sobre a famosa criação com apego, que prioriza a sinceridade, empatia e amor com bebês. Conteúdo elaborado com a participação da quiroprata Roser de Tienda. Traduzido por Juliana Couto

A criação com apego (attachment parenting) é um conceito cunhado pelo pediatra norte-americano William Sears, cuja filosofia se baseia nos princípios da teoria do apego criada pelo psicólogo John Bowlby (1907-1990).

Os psicólogos entendem por apego emocional o vínculo afetivo que se estabelece entre as crianças e seus pais nos primeiros anos de vida. Esse vínculo dá ao bebê a segurança de ser aceito tal como ele é e de que sempre estará protegido, independentemente do que aconteça.

Os estudos sociológicos afirmam que os adultos que se consideram mais felizes são aqueles que tiveram um apego emocional muito bem estabelecido durante sua infância.

É como uma espécie de garantia e parece ser essencial para que essa criança seja um adulto feliz, com uma inteligência emocional capaz de lidar com as mudanças da vida de uma maneira resoluta e resiliente.

Por que é importante estabelecer um vínculo afetivo seguro com seus filhos?

Os bebês são seres indefesos que necessitam de uma pessoa adulta para sobreviver. Se o cuidador do bebê atender às necessidades dele com carinho e de forma positiva, com empatia e expressividade, esse bebê crescerá confiante e tranquilo. A esse vínculo que se cria entre o bebê e seu cuidador principal dá-se o nome de apego emocional. Embora possa ser surpreendente, a partir desse vínculo é que se cria o modo como apreciamos ou nos relacionamos com os outros.

Já se sabe que 90% do cérebro se desenvolve durante os três primeiros anos de vida e que durante o primeiro ano e meio se forja o lado emocional de uma pessoa. Assim, as experiências que o bebê teve serão colocadas em prática pelo resto de sua vida e serão determinantes para seu nível de saúde mental satisfação com a vida e autoestima na vida adulta.

Segundo o psicólogo John Bowlby (1907-1990), criador da Teoria do Apego, há três elementos fundamentais para o processo de vínculo afetivo positivo:

  • Sintonia: a harmonia entre o estado interno dos pais e o estado interno dos filhos. Eles compreendem-se sem a necessidade de falar.
  • Equilíbrio: a sintonia com o estado dos pais permitirá aos filhos equilibrar seus próprios estados corporais, emocionais e mentais.
  • Coerência: é o sentido de integração que as crianças atingem quando, em relação com os adultos, experimentam uma conexão interpessoal e uma integração interna.

Como favorecer um apego seguro e positivo com seus filhos?

  • É importante confortar um bebê que chora. Bebês não falam. O choro é a maneira deles dizerem o que está acontecendo. O choro tem várias e diferentes nuances. Com poucas semanas de vida já é possível saber se o bebê chora por fome, por cólica ou se ele apenas quer companhia.
  • Mostre-se como você é, tanto se estiver cansado quanto se estiver feliz. Compartilhar nossas emoções com nossas crianças cria uma atmosfera de intimidade e confiança, que ao longo dos anos torna a comunicação mais fácil. Você pode se relacionar com eles como uma pessoa muito próxima e com humanidade suficiente para que sempre confiem em você.
  • Se você tem pouco tempo, passe o máximo do que resta com seus filhos. Se nossos filhos virem que eles são a prioridade, e não as coisas materiais, será muito mais fácil ensiná-los a fazer coisas em família, porque sabem que é importante fazer parte da "tribo".
  • Às vezes, os pais não concordam entre si. É importante esclarecer diferenças de criação de forma privada e diante da criança se mostrar como uma equipe unida. Eles aprenderão a se comportar de forma comprometida e consistente à medida que crescem.
  • Cerque-se de família e amigos que tenham filhos. O ser humano é um ser social e necessita dos outros para se sentir bem emocionalmente e se desenvolver como pessoa.
  • Cultive sua serenidade. Pais sensíveis, coerentes em suas respostas e emocionalmente disponíveis garantem o estabelecimento de um vínculo emocional saudável.
  • ​Evite as separações frequentes ou prolongadas de seus filhos.
  • ​Use uma disciplina positiva para definir os limites que toda criança precisa aprender a respeitar.
  • É importante que as crianças possam crescer em um lar com ambiente estável, por isso, faça o necessário para garantir isso.

A doutora quiroprata com especialidade em saúde da mulher e de crianças Roser de Tienda explica que "ao nos tornarmos pais, todos nós temos dúvidas, mas, como explico aos meus pacientes, não estamos sozinhos. Se estamos bem conectados, nosso corpo está desenhado para que possamos perpetuar a espécie. Para isso, como explica um recente estudo da revista Scientific American, os hormônios são acionados para ajudar. Determinados hormônios, como a vasopressina, são cruciais para a aprendizagem e para a memória, diretamente envolvida no comportamento parental e na formação de laços sociais. E o mais surpreendente é que, ao passo em que a memória do bebê aumenta, o cérebro dele cresce em massa, tornando-o mais inteligente".

Se você mantiver seu sistema nervoso conectado positivamente, você sempre será a melhor versão de si mesmo e criará seus filhos com a alegria, o amor e o apego de que eles precisam para amadurecer. Enfim, lembre-se: pais felizes, crianças felizes.

Leia mais em maternidade:

by Redação taofeminino

você também vai <3: