Home / Comportamento / Relacionamento / Viajar é melhor do que ter um namorado – e nós temos provas!

© iStock
Comportamento

Viajar é melhor do que ter um namorado – e nós temos provas!

by Karen Carneti Published on 15 de março de 2016

Acredite: o passaporte é o pretendente ideal

Por mais que ficar aconchegada com alguém durante as tardes frias e ter uma mão para segurar enquanto caminha até o supermercado seja muito bom, estamos aqui para argumentar que isso não pode ser tão maravilhoso quanto ter uma passagem de avião nas mãos e uma mochila nas costas.

Abaixo estão sete razões pelas quais viajar é melhor do que ter um namorado (porque, às vezes, café da manhã na cama não é o suficiente para mantê-la satisfeita):

1 – Viajar não lhe impedirá de fazer nada

"Querida, eu não acho que comprar uma passagem para um fim de semana na Argentina seja algo que eu queira fazer."; "Você realmente vai comer isso? Os olhos ainda estão aí."; "Não há nada que me faça entrar neste barco - parece que ele é feito de papel."

Estas são todas as coisas que um namorado poderia te dizer. Nem todos os namorados, mas de vez em quando algum homem vai abrir a boca e dizer algo parecido com essas frases, limitando efetivamente suas experiências se você acatar suas ideias.

Você sabe quem não vai fazer isso? Seu passaporte. Em vez disso, uma viagem te pega pela mão e te faz correr atrás dela por sinuosas ruas e bazares coloridos, desafiando você a se deixar levar pela cidade, pelo fim de semana, pela cultura e a tentar toda e qualquer coisa. Seja mergulhar nos mares com águas que parecem de banho, sair para iluminadas no meio da noite ou experimentar uma comida em um food truck, uma coisa que a viagem nunca vai fazer é tentar te manter parada.

2 – Você gasta seu tempo descobrindo um mapa, não uma pessoa

Sim, é romântico adivinhar o cereal que ele mais gosta para o café da manhã, e é adorável quando ele sabe exatamente como você gosta do seu chá, mas, em vez de investir semanas e meses aprendendo pequenos caprichos do cara que está dormindo no seu apartamento, você poderia estar lá fora, criando intimidade com o mundo.

​Em vez de se concentrar no fato de que o Rafael agora está em uma dieta livre de glúten e quer comer pão no almoço, você poderia estar lá fora descobrindo o exato tom de azul das paredes da aldeia de Jodhpur – e se perguntando se ele parece mais com um azul celeste ou um azul turquesa. Você pode sentir como é o Mar Morto quando você entra nele com os pés descalços, e como os homens de barba branca em Hoi Ann são gentis.

Você pode passar suas tardes aprendendo que vinho de arroz não é vinho de verdade no Vietnã, e que os waffles belgas são mais um creme batido do que waffle ... ou você pode descobrir que o Rafael tem uma banda cover de Foo Fighters, na qual ele toca bateria. Você decide.

3 – Você não fica presa a compromissos

Eu não vou fingir que não amo compromissos — eu adoro a sensação de colocar as minhas chaves na mesa, bem em cima da minha pilha de correspondências, e eu amo saber que todos os domingos eu tenho um brunch com amigos em nosso local favorito. Algum dia quero plantar tulipas em meu próprio jardim e ter um gato chamado Plum.

Mas, você já teve um mês completa e totalmente sem obrigações? Já andou de cidade em cidade procurando novos cafés para comer e novos endereços para chamar de lar, tudo isso em apenas uma semana? Você já teve a liberdade de arrumar sua mala no meio da noite e sair da cidade já que ela não te dava mais o amor que costumava, ou passou uma noite inteira com alguém em um restaurantes de tacos apenas para descobrir que vocês dois deixarão a cidade na manhã seguinte? É uma sensação incrível, libertadora. Que lhe empodera um pouco mais do que um cara com as chaves do seu apartamento.

mulher-descendo-escadas-torre-eiffel

4 – Permite que você conheça novas pessoas

Quantos amigos você tem que se transformaram em um "nós?" "Nós estaremos lá em breve”; "Estamos pensando em ir para o norte do estado neste fim de semana”; "Nós adoraríamos acompanhá-la na noite das garotas”. Nós, nós, nós.

Enquanto a maioria das solteira está secretamente desejando estar aninhada como um "nós" em um sofá na sexta-feira à noite, assistindo Netflix em conjuntos de moletom, a coisa mais agradável sobre a escolha de viajar em vez de ter um namorado é que você tem a oportunidade de conhecer um monte de pessoas novas e interessantes.

Pessoas que irão ajudá-la a crescer como ser humano, tornar-se mais aberta, mais aventureira e mais compreensiva. Enquanto você estiver tomando café da manhã em albergues ou vagando por museus, irá encontrar pessoas de todas as diferentes esferas da vida, e suas histórias vão te ensinar um pouco sobre si mesma. Principalmente que há um monte de diferentes caminhos que você pode seguir, e, literalmente, todos eles estão abertos. Quer se trate de ouvir sobre como eles saíram de um emprego que odiavam a fim de ir fazer uma nova vida na estrada ou sobre como eles exploraram uma cidade que você ainda não conhece, isso lhe fará amar ainda mais. Pessoas, lugares e possibilidades.

5 – Você não terá uma zona de conforto

Quando você tem um namorado, tem também uma rotina confortável com ele que envolve compras de supermercado, assistir seus programas favoritos, experimentar novos restaurantes no bairro, fazer feira no domingo de manhã ... e embora tudo isso seja amável, não necessariamente lhe dá a oportunidade de descobrir coisas novas sobre si mesma ou sobre o que você é capaz.

Você sabe o que lhe dá? Estar perdida em uma vila de pescadores na Tailândia, ou fazendo snorkel na costa da Costa Rica, ou concordar em ir a uma viagem para passar um dia em Praga com um bando de estranhos que você não conhece, mas já ama. Quando você está fora viajando, sua zona de conforto é deixada para trás no aeroporto de sua cidade natal, permitindo-lhe descobrir lados seus que você nem sabia que tinha.

avião-mudando-paisagens

6 – Irá lhe ensinar independência

Descobrir como pegar um trem das plantações de chá de Munnar até o movimentado calor de Mumbai é sua responsabilidade, assim como descobrir um meio de chegar ao seu albergue às duas da manhã. Cabe a você descobrir onde vendem a melhor cerveja local em Praga, e como viver em Paris durante 12 dias sem gastar todo o dinheiro que tem.

Toda a responsabilidade está em suas mãos, e por isso você aprende a ter um maravilhoso senso de independência. Não ter alguém a quem recorrer quando as coisas cabeludas acontecem te ensina uma coisa muito rapidamente: você sabe como resolver as coisas, e sempre saberá. Você é forte e inteligente o suficiente e não precisa checar isso com ninguém.

7 – Viajar lhe ajudará a tornar-se uma pessoa melhor

Quando você deixa seu código postal pra trás, verá coisas que só viu antes por fotografias ou ouvido falar em artigos de revistas. E ver e sentir essas coisas em primeira mão irá mudá-la. Você verá crianças descalças na Índia e homens que trabalham duro no Nepal. Você ficará com famílias amorosas no meio das plantações de chá no Vietnã, e encontrará pessoas com corações bonitos e outras visões de mundo em restaurantes e hostels.

Às vezes você ficará sem-teto, dormindo em uma cama estreita, com insolação, abandonada e com fome. Você vai experimentar o desconforto real e a preocupação verdadeira, e outras vezes encontrará, sem querer, a verdadeira beleza e o amor real. Todas essas experiências irão ajudá-la a se tornar uma pessoa melhor – você verá o quanto o mundo tem para lhe oferecer, como quantos pontos em um mapa estão esperando sua visita, e irá aprender quantas pessoas diferentes, interessantes e com grandes corações estão vagando por aí.

E será duramente pressionada para ser a mesma depois disso. Sair com o Rafael durante todo o dia simplesmente não será capaz de lhe proporcionar essa mesma experiência, entende?

óculos-mudando-paisagens

Este texto foi escrito por @karencarneti e editado por @cicaarra

Hey, não vá ainda...

13 provas de que é melhor ter um cachorro do que um namorado
7 maneiras de convidar seu crush para sair (porque está na hora!)
O que acontece quando você fica solteira pela primeira vez em muito tempo
6 dicas para escapar da rotina de um relacionamento longo
Por que você deveria namorar alguém que não faz o seu tipo (pelo menos uma vez)

by Karen Carneti