Home / Comportamento / Carreira / Microempreendedor individual: como começar um negócio

© Thinkstock
Comportamento

Microempreendedor individual: como começar um negócio

by Maria Cecília Arra Published on 14 de janeiro de 2014

Empreender em 2014? Você consegue, sim! Gwendoline de Ganay* mostra como aquela (ótima) ideia pode sair do papel e te transformar em uma empresária de sucesso ainda neste ano

Você quer empreender para mudar de vida e trabalhar fazendo o que ama? Você não está sozinha: muitas mulheres gostariam de começar um negócio próprio. Dar o start é que pode ser um problema - a falta de informação pode fazer a ideia de abrir uma empresa parecer intimidante. Na prática, iniciar o processo é simples. Se o seu objetivo é virar empreendedora, os pontos abaixo podem ajudar.

1. As ideias: montando o seu plano de negócios

Respondendo às perguntas a seguir (com objetividade e segurança) você terá feito a parte mais importante do seu plano de negócios:

  • Que conhecimento você tem que poderia ser útil para outras pessoas? O que que você gosta de fazer? Para empreender, você tem de ser apaixonada.

  • Qual é o seu público-alvo? Quem poderia querer esse serviço/produto?

  • Qual é a real necessidade de seus potenciais consumidores? O melhor produto é aquele que soluciona um problema ou satisfaz uma demanda não atendida. Quer exemplo melhor que o boom de empresas de comida congelada?

  • Quais benefícios seu produto vai oferecer, como vai ser melhor que os outros?

  • Quais são os riscos e desafios de entrar no mercado? Há concorrência ou limitações administrativas? Você pode se adaptar a partir daí.

  • Quais vão ser os despesas e as receitas? Que recursos você vai precisar para começar?

  • Que canais de venda você vai usar?

  • O seu negócio tem como crescer?

2. O teste: conheça seus clientes e aprimore sua ideia

Você precisa conhecer o seu público-alvo. Então, mãos à obra:

  • Pesquise dados sobre as pessoas ou os grupos que você pretende alcançar.

  • Converse com alguns deles (pessoalmente ou virtualmente) para saber mais sobre o seus desejos, expectativas, problemas.

  • Pesquise quanto seus futuros clientes estariam dispostos a pagar pelo seu serviço/produto.

  • Faça uma versão teste: distribua amostras do seu produto ou preste o seu serviço sem cobrar para clientes potenciais. E registre a opinião deles: o feedback pode contribuir para você aprimorar e divulgar seu trabalho.

3. A estrutura: microempreendedor individual (MEI)

Você não precisa criar uma empresa com muita infraestrutura e burocracia. O Microempreendedor Individual (MEI), por exemplo, é a pessoa que trabalha por conta própria legalizada como pequeno empresário. É uma das melhores maneiras de abrir uma empresa com baixo orçamento. Para se encaixar no perfil de microempreendedor, é pré-requisito faturar no máximo até R$ 60 mil por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. Ao aderir, o microempreendedor ganha um número de CNPJ - cadastro que facilita abertura de uma conta bancária, pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais - e fica isento dos tributos federais (como o Imposto de Renda, PIS, Cofins...). Para saber mais, acesse o site do SEBRAE: www.sebrae.com.br.

4. O marketing e as operações

Para finalizar, mais algumas questões que você deve responder sobre como atingir seus clientes:

  • Como você vai se posicionar no mercado em relação à concorrência? Qual vai ser seu valor, seu diferencial?

  • Que canais você vai usar para comunicar sobre o seu produto/ serviço? (redes sociais, publicidade em revista, promoções)

  • Com quem você vai trabalhar? Mesmo uma estrutura unipessoal precisa de parceiros - eles vão ajudar você e agregar valor à sua marca. Pense em pessoas que completam suas competências.

  • Você conhcece seus fornecedores? Se a sua microempresa demandar prestação de serviços, logística e distribuição merecem um olhar atento. Isso vai ser chave no momento de crescer.

Espero que a lista tenha ajudado você a pensar em um projeto de empresa bacana e, principalmente, a enxergar que empreender não é tão assustador assim. Posso falar com propriedade porque também criei minha empresa e asseguro: você também pode!

*Gwendoline de Ganay é consultora em sustentabilidade e liderança feminina. Ela discute o impacto social e ambiental das empresas no blog Sustainable Brasil (sustainablebrasil.com). Aqui no taofeminino, ela conversa com você sobre sociedade e cultura.

Gostou? Leia também:

Quer mudar de assunto?

  • Comece já a programar passeios, viagens, baladas… olho no calendário de feriados nacionais de 2014!
  • Por falar em viagem, você vai querer férias já depois de ver estas fotos da Áustria

by Maria Cecília Arra

você também vai <3: