Home / Lifestyle / Cultura / 10 razões (e programas) para amar São Paulo

© Jose Cordeiro/SPTuris
Lifestyle

10 razões (e programas) para amar São Paulo

Fernanda Guimarães
by Fernanda Guimarães Published on 14 de janeiro de 2015
A-
A+

No dia 25 de janeiro São Paulo completa mais um ano de vida. Entre barulho, trânsito e correria, nós declaramos nosso amor à cidade com dez programas que provam que existe amor em SP

Não seria São Paulo se não fosse uma relação de amor e ódio. Quem vive na terra da garoa sabe o que é odiar a cidade esperando o décimo trem do metrô passar, ainda com expectativas de um vagão livre; nos momentos de violência (desde a briga de trânsito até os assaltos); na hora em que você abre a carteira e viu que São Paulo consumiu suas economias.

Mas sejamos francos...No meio de todo esse caos, no fundo, nós amamos São Paulo (e precisamos dela). Então para comemorar o aniversário da nossa cidade, selecionamos passeios e atividades que vão fazer os corações gelados de todos os paulistanos (nascidos ou radicados) bater forte mais uma vez por sua terra.

Esqueça o roteiro batido com o Parque do Ibirapuera - para quem não sabe, nosso maior orgulho municipal, a famosa praia dos paulistas - como atração principal. Vamos provar de uma vez por todas que São Paulo tem tudo mesmo, desde aulas de vela até festival de cerejeiras e também muito amor!

1. Calmaria: Trilha do silêncio no Pico do Jaraguá

Silêncio em São Paulo é luxo dos mais caros. Para fugir das buzinas não é preciso sair da cidade ou se trancar numa sala com isolamento acústico. Plana e com apenas 800 metros (ida e volta), a Trilha do Silêncio não requer guias e é adaptada para receber pessoas com mobilidade reduzida.

Parque Estadual do Jaraguá - Rua Antonio Cardoso Nogueira, 539
Horários da trilha: das 09h00 às 16h30
Visita guiada e mais informaçoes: (11) 3945-4532

2. Para fugir do litoral: cursos de Vela na Represa de Guarapiranga

Aprender a velejar sem ter que encarar o trânsito da descida para o litoral? Realidade para os paulistanos que aproveitam dias de sol e vento para fazer aulas de vela na represa de Guarapiranga. As margens da represa são repletas de clubes e escolas que oferecem o serviço.

*Em nota, a Sabesp esclarece que a prática de esportes náuticos na represa durante a seca não afeta a captação de água e que é importante que os frequentadores respeitem o meio ambiente e não joguem lixo no local.

Yatch Clube Santo Amaro - Rua Édson Régis, 481 - Jardim Guarapiranga
Curso de vela de 12 horas (dividido em 3 finais de semana) para sócios e não-sócios a partir de R$630
Mais informações: http://ycsa.com.br/


Kitepoint Guarapiranga - Avenida Atlântica (antiga Robert Kennedy), 3834
Curso de kitesurf: aula teórica por R$150 e práticas por R$240. Pacote de 5 horas de aulas práticas por R$1.000
Mais informações:
http://www.kitepointsp.com.br/index.html

Tempo Wind & SUP Clube - Rua Antonio Segala, 128 - Guarapiranga
Aulas de stand up paddle, vela, windsurf e wake board
Aulas individuais ou em grupos a partir de R$100/hora/pessoa para SUP até R$280/hora/pessoa para wakeboard
Agendamentos: (11)5517-6039
Mais informações:
http://www.tempowindclube.com.br/

3. Fundação Ema Klabin

Num terreno de 4 mil metros quadrados no Jardim Europa, a antiga residência da empresária e amante da arte Ema Gordon Klabin tornou-se sede da fundação que leva seu nome. Localizada no Jardim Europa, a casa de 900 metros quadrados é aberta ao público e conta com o acervo artístico de Ema, com mais de 1500 itens. A Fundação promove atividades culturais como cursos e apresentações musicais. Só a arquitetura e o jardim já valem a visita!

Fundação Cultural Ema Gordon Klabin - Rua Portugal, 43 - Jardim Europa
As visitas, individuais ou em grupos, são orientadas e duram em média uma hora. Agendamento pelo telefone (11) 3062 5245 ou no site: www.emaklabin.org.br/visitas.
Preço: R$ 10 (meia-entrada para aposentados e estudantes). Gratuito para professores.
Terças, quintas e sextas: das 14h às 18h. Sábados: Das 11h às 16 h
Sextas-feiras livres (grátis e sem agendamento). Dois sábados por mês, das 14h às 16h30, a visita também é grátis e sem agendamento

Jardim da Fundação Ema Klabin © Divulgação

4. Tradição japonesa fora da Liberdade

A tradição japonesa do “hanami”, de sentar sob as cerejeiras e contemplá-las, invade já há mais de 35 anos o Parque do Carmo na Zona Leste de São Paulo. O show natural das pétalas das flores voando e deixando o parque com um toque de rosa delicado acontece por um período bem curto já que a florada dura poucos dias. Duarante o festival (geralmente em agosto) é a única oportunidade de conferir as flores em tons de rosa no seu auge.
Além do hanami, apresentações de dança folclórica japonesa, música e quitutes da culinária nipônica rolam nos bosques de sakuras. Quer dica melhor para conhecer um dos legados da maior comunidade japonesa fora da terra do sol nascente?

Festa da Cerejeiras - Parque do Carmo - Olavo Egydio Setúbal - Avenida Afonso de Sampaio e Souza, 951
Quando: datas para 2015 ainda não confirmadas (geralmente em agosto)
Entrada franca

5. Arquitetura fina na Casa de Vidro de Lina Bo Bardi

Difícil de acreditar que esta casa é em São Paulo (como assim tanto verde?) e que ela está aberta para visitas. A italiana Lina Bo Bardi, um dos nomes mais proeminentes da arquitetura brasileira é a figura por trás do desenho da sede do MASP, um dos cartões postais de São Paulo. Lina construiu sua casa de vidro em 1951 para viver com o marido, o crítico de arte Pietro Maria Bardi. Não precisamos nem falar que o espaço, que fica num terreno verdíssimo de 7 mil metros quadrados no Morumbi, é prato cheio para quem adora arte contemporânea e arquitetura!

​Instituto Bo e P.M. Bardi - Rua General Almério de Moura, 200 - Morumbi
Atende visitantes duas vezes por semana, de 2ª a 6ª feira, das 10 às 15h, com dia a combinar. Visitas devem ser agendadas com antecedência, pelo email visita@institutobardi.com.br
Entrada: R$20 (estudantes pagam meia-entrada)
Fechado aos sábados, domingos e feriados.

6. Parque Estadual da Cantareira: natureza rara a 20 km do centro

O Parque da Cantareira possui uma das maiores áreas de mata tropical nativa do mundo situada dentro de uma região metropolitana - um dos raros hectares de Mata Atlântica intocada, uma área equivalente a oito mil campos de futebol. O local é dividido em núcleos, sendo que quatro deles são abertos a visitação. A trilha mais famosa da região da Cantareira, na Zona Norte da cidade, é a de Pedra Grande com mais de 4 km de extensão e nível de dificuldade alto. A caminhada longa vale o esforço: ao chegar no pico, tem quem diga que a vista para a cidade supera qualquer visita ao Terraço Itália.

Parque Estadual da Cantareira - Rua do Horto, 1.799
Horário das trilhas: das 8h às 17h.
Ingresso: R$12 (estudantes pagam meia-entrada)
Mais informações: trilhasdesaopaulo.sp.gov.br

Vista da Pedra Grande © Reprodução

7. Ginga paulistana nos ensaios da Vai-Vai

Aproveite o início do ano para celebrar São Paulo ao som do samba-enredo de uma das escolas mais tradicionais da cidade: a Vai-Vai. No coração do bairro da Bela Vista, onde a cultura afro mantém sua força e tradição, a Vai-Vai abre suas portas para os ensaios que antecedem o carnaval paulistano. Reponha as energias após o ensaio em um dos tradicionalíssimos restaurantes italianos do Bixiga ou nas padocas centenárias (confira o item 9)!

Ensaio pré Carnaval na Vai-Vai - Rua São Vicente, 276 - Bela Vista
Todos as quintas e domingos, a partir das 19h
Entrada: R$20
Mais informações:
vaivai.com.br

8. Gastronomia itinerante com os food trucks

© Butantan Food Park

Mania internacional, a cidade agora pode gabar-se de seus food trucks. E como estamos falando São Paulo, gastronomia de primeira é palavra de ordem nas cozinhas sobre rodas. Nos food parks, um cardápio variado de carrinhos dedicados à cozinha italiana, tapiocas, shakes, churros. No Butantan Food Park as guloseimas não passam de R$25.

Butantan Food Park - Rua Agostinho Cantu, 47 - Butantã
Horário: de segunda a quarta das 11h às 16h. QUinta à sábado das 11h às 22h. Domingos das 11h às 19h.
Mais informações e agenda: facebook.com/ButantanFoodPark

Feirinha Gastronômica do Jardim das Perdizes - Av. Marquês de São Vicente, 2301 - Perdizes
Horário: sábados e domingos das 12h às 20h
Mais informações e agenda: facebook.com/feirinhagastronomicajardimdasperdizes

9. Padocas centenárias no Bixiga

Há quem diga que elas são instituições culturais da cidade e a "padoca" talvez seja o estabelecimento mais paulistano que existe.

O Bixiga abriga duas das mais tradicionais padarias de São Paulo, a 14 de Julho e São Domingos, onde a história da cidade se mantém viva. Inauguradas por imigrantes italianos, hoje elas fornecem pães para os melhores restaurantes de São Paulo. A 14 de Julho, fundada em 1897 deu até nome à rua onde fica, e não o contrário, como muita gente pensa. Não perca o pão de calabresa!

Padaria 14 de Julho - Rua Quatorze de Julho, 92 - Bela Vista
Horários: das 7h às 20h30 (domingo até 18h; segunda das 12h às 20h)
Estacionamento gratuito


Padaria São Domingos - Rua São Domingos, 330 - Bela Vista
Horários: de segunda a sábado: das 7h às 20h
Domingos e feriados: das 07h às 15h

10. Cinema old school: Cine Marabá

Das salas de cinema da região do centro conhecida como a Cinelândia Paulista - entre as avenidas São João e Ipiranga - só uma ainda funciona até hoje. O Cine Marabá, atualmente sob a administração da Playarte foi inaugurado em 1944. O cinema ficou aberto durante 63 anos ininterruptos, até 2007, quando fechou para reformas.
Hoje quem visita sente todo o clima da São Paulo industrial dos anos 40 e 50 que crescia a todo vapor, e ainda pode curtir filmes comerciais e uma pipoquinha.

Multiplex Playarte Marabá (antigo Cine Marabá) - Avenida Ipiranga, 757 - Centro
Diariamente, 13h às 22h.
Estacionamento gratuito
Mais informações: playartepictures.com.br

Uma das salas retrô do Cine Marabá © Reprodução

Tem algum programa paulistano que você adora que não foi para a lista? Conta para a gente o que você mais gosta da nossa querida São Paulo!

Tem mais:

by Fernanda Guimarães

você também vai <3: