Home / Lifestyle / Cultura / 10 razões (e programas) para amar São Paulo

© Jose Cordeiro/SPTuris
Lifestyle

10 razões (e programas) para amar São Paulo

by Fernanda Guimarães Published on 14 de janeiro de 2015

No dia 25 de janeiro São Paulo completa mais um ano de vida. Entre barulho, trânsito e correria, nós declaramos nosso amor à cidade com dez programas que provam que existe amor em SP

Não seria São Paulo se não fosse uma relação de amor e ódio. Quem vive na terra da garoa sabe o que é odiar a cidade esperando o décimo trem do metrô passar, ainda com expectativas de um vagão livre; nos momentos de violência (desde a briga de trânsito até os assaltos); na hora em que você abre a carteira e viu que São Paulo consumiu suas economias.

Mas sejamos francos...No meio de todo esse caos, no fundo, nós amamos São Paulo (e precisamos dela). Então para comemorar o aniversário da nossa cidade, selecionamos passeios e atividades que vão fazer os corações gelados de todos os paulistanos (nascidos ou radicados) bater forte mais uma vez por sua terra.

Esqueça o roteiro batido com o Parque do Ibirapuera - para quem não sabe, nosso maior orgulho municipal, a famosa praia dos paulistas - como atração principal. Vamos provar de uma vez por todas que São Paulo tem tudo mesmo, desde aulas de vela até festival de cerejeiras e também muito amor!

1. Calmaria: Trilha do silêncio no Pico do Jaraguá

Silêncio em São Paulo é luxo dos mais caros. Para fugir das buzinas não é preciso sair da cidade ou se trancar numa sala com isolamento acústico. Plana e com apenas 800 metros (ida e volta), a Trilha do Silêncio não requer guias e é adaptada para receber pessoas com mobilidade reduzida.

Parque Estadual do Jaraguá - Rua Antonio Cardoso Nogueira, 539
Horários da trilha: das 09h00 às 16h30
Visita guiada e mais informaçoes: (11) 3945-4532

2. Para fugir do litoral: cursos de Vela na Represa de Guarapiranga

Aprender a velejar sem ter que encarar o trânsito da descida para o litoral? Realidade para os paulistanos que aproveitam dias de sol e vento para fazer aulas de vela na represa de Guarapiranga. As margens da represa são repletas de clubes e escolas que oferecem o serviço.

*Em nota, a Sabesp esclarece que a prática de esportes náuticos na represa durante a seca não afeta a captação de água e que é importante que os frequentadores respeitem o meio ambiente e não joguem lixo no local.

Yatch Clube Santo Amaro - Rua Édson Régis, 481 - Jardim Guarapiranga
Curso de vela de 12 horas (dividido em 3 finais de semana) para sócios e não-sócios a partir de R$630
Mais informações: http://ycsa.com.br/


Kitepoint Guarapiranga - Avenida Atlântica (antiga Robert Kennedy), 3834
Curso de kitesurf: aula teórica por R$150 e práticas por R$240. Pacote de 5 horas de aulas práticas por R$1.000
Mais informações:
http://www.kitepointsp.com.br/index.html

Tempo Wind & SUP Clube - Rua Antonio Segala, 128 - Guarapiranga
Aulas de stand up paddle, vela, windsurf e wake board
Aulas individuais ou em grupos a partir de R$100/hora/pessoa para SUP até R$280/hora/pessoa para wakeboard
Agendamentos: (11)5517-6039
Mais informações:
http://www.tempowindclube.com.br/

3. Fundação Ema Klabin

Num terreno de 4 mil metros quadrados no Jardim Europa, a antiga residência da empresária e amante da arte Ema Gordon Klabin tornou-se sede da fundação que leva seu nome. Localizada no Jardim Europa, a casa de 900 metros quadrados é aberta ao público e conta com o acervo artístico de Ema, com mais de 1500 itens. A Fundação promove atividades culturais como cursos e apresentações musicais. Só a arquitetura e o jardim já valem a visita!

Fundação Cultural Ema Gordon Klabin - Rua Portugal, 43 - Jardim Europa
As visitas, individuais ou em grupos, são orientadas e duram em média uma hora. Agendamento pelo telefone (11) 3062 5245 ou no site: www.emaklabin.org.br/visitas.
Preço: R$ 10 (meia-entrada para aposentados e estudantes). Gratuito para professores.
Terças, quintas e sextas: das 14h às 18h. Sábados: Das 11h às 16 h
Sextas-feiras livres (grátis e sem agendamento). Dois sábados por mês, das 14h às 16h30, a visita também é grátis e sem agendamento

Jardim da Fundação Ema Klabin © Divulgação

4. Tradição japonesa fora da Liberdade

A tradição japonesa do “hanami”, de sentar sob as cerejeiras e contemplá-las, invade já há mais de 35 anos o Parque do Carmo na Zona Leste de São Paulo. O show natural das pétalas das flores voando e deixando o parque com um toque de rosa delicado acontece por um período bem curto já que a florada dura poucos dias. Duarante o festival (geralmente em agosto) é a única oportunidade de conferir as flores em tons de rosa no seu auge.
Além do hanami, apresentações de dança folclórica japonesa, música e quitutes da culinária nipônica rolam nos bosques de sakuras. Quer dica melhor para conhecer um dos legados da maior comunidade japonesa fora da terra do sol nascente?

Festa da Cerejeiras - Parque do Carmo - Olavo Egydio Setúbal - Avenida Afonso de Sampaio e Souza, 951
Quando: datas para 2015 ainda não confirmadas (geralmente em agosto)
Entrada franca

5. Arquitetura fina na Casa de Vidro de Lina Bo Bardi

Difícil de acreditar que esta casa é em São Paulo (como assim tanto verde?) e que ela está aberta para visitas. A italiana Lina Bo Bardi, um dos nomes mais proeminentes da arquitetura brasileira é a figura por trás do desenho da sede do MASP, um dos cartões postais de São Paulo. Lina construiu sua casa de vidro em 1951 para viver com o marido, o crítico de arte Pietro Maria Bardi. Não precisamos nem falar que o espaço, que fica num terreno verdíssimo de 7 mil metros quadrados no Morumbi, é prato cheio para quem adora arte contemporânea e arquitetura!

​Instituto Bo e P.M. Bardi - Rua General Almério de Moura, 200 - Morumbi
Atende visitantes duas vezes por semana, de 2ª a 6ª feira, das 10 às 15h, com dia a combinar. Visitas devem ser agendadas com antecedência, pelo email visita@institutobardi.com.br
Entrada: R$20 (estudantes pagam meia-entrada)
Fechado aos sábados, domingos e feriados.

6. Parque Estadual da Cantareira: natureza rara a 20 km do centro

O Parque da Cantareira possui uma das maiores áreas de mata tropical nativa do mundo situada dentro de uma região metropolitana - um dos raros hectares de Mata Atlântica intocada, uma área equivalente a oito mil campos de futebol. O local é dividido em núcleos, sendo que quatro deles são abertos a visitação. A trilha mais famosa da região da Cantareira, na Zona Norte da cidade, é a de Pedra Grande com mais de 4 km de extensão e nível de dificuldade alto. A caminhada longa vale o esforço: ao chegar no pico, tem quem diga que a vista para a cidade supera qualquer visita ao Terraço Itália.

Parque Estadual da Cantareira - Rua do Horto, 1.799
Horário das trilhas: das 8h às 17h.
Ingresso: R$12 (estudantes pagam meia-entrada)
Mais informações: trilhasdesaopaulo.sp.gov.br

Vista da Pedra Grande © Reprodução

7. Ginga paulistana nos ensaios da Vai-Vai

Aproveite o início do ano para celebrar São Paulo ao som do samba-enredo de uma das escolas mais tradicionais da cidade: a Vai-Vai. No coração do bairro da Bela Vista, onde a cultura afro mantém sua força e tradição, a Vai-Vai abre suas portas para os ensaios que antecedem o carnaval paulistano. Reponha as energias após o ensaio em um dos tradicionalíssimos restaurantes italianos do Bixiga ou nas padocas centenárias (confira o item 9)!

Ensaio pré Carnaval na Vai-Vai - Rua São Vicente, 276 - Bela Vista
Todos as quintas e domingos, a partir das 19h
Entrada: R$20
Mais informações:
vaivai.com.br

8. Gastronomia itinerante com os food trucks

© Butantan Food Park

Mania internacional, a cidade agora pode gabar-se de seus food trucks. E como estamos falando São Paulo, gastronomia de primeira é palavra de ordem nas cozinhas sobre rodas. Nos food parks, um cardápio variado de carrinhos dedicados à cozinha italiana, tapiocas, shakes, churros. No Butantan Food Park as guloseimas não passam de R$25.

Butantan Food Park - Rua Agostinho Cantu, 47 - Butantã
Horário: de segunda a quarta das 11h às 16h. QUinta à sábado das 11h às 22h. Domingos das 11h às 19h.
Mais informações e agenda: facebook.com/ButantanFoodPark

Feirinha Gastronômica do Jardim das Perdizes - Av. Marquês de São Vicente, 2301 - Perdizes
Horário: sábados e domingos das 12h às 20h
Mais informações e agenda: facebook.com/feirinhagastronomicajardimdasperdizes

9. Padocas centenárias no Bixiga

Há quem diga que elas são instituições culturais da cidade e a "padoca" talvez seja o estabelecimento mais paulistano que existe.

O Bixiga abriga duas das mais tradicionais padarias de São Paulo, a 14 de Julho e São Domingos, onde a história da cidade se mantém viva. Inauguradas por imigrantes italianos, hoje elas fornecem pães para os melhores restaurantes de São Paulo. A 14 de Julho, fundada em 1897 deu até nome à rua onde fica, e não o contrário, como muita gente pensa. Não perca o pão de calabresa!

Padaria 14 de Julho - Rua Quatorze de Julho, 92 - Bela Vista
Horários: das 7h às 20h30 (domingo até 18h; segunda das 12h às 20h)
Estacionamento gratuito


Padaria São Domingos - Rua São Domingos, 330 - Bela Vista
Horários: de segunda a sábado: das 7h às 20h
Domingos e feriados: das 07h às 15h

10. Cinema old school: Cine Marabá

Das salas de cinema da região do centro conhecida como a Cinelândia Paulista - entre as avenidas São João e Ipiranga - só uma ainda funciona até hoje. O Cine Marabá, atualmente sob a administração da Playarte foi inaugurado em 1944. O cinema ficou aberto durante 63 anos ininterruptos, até 2007, quando fechou para reformas.
Hoje quem visita sente todo o clima da São Paulo industrial dos anos 40 e 50 que crescia a todo vapor, e ainda pode curtir filmes comerciais e uma pipoquinha.

Multiplex Playarte Marabá (antigo Cine Marabá) - Avenida Ipiranga, 757 - Centro
Diariamente, 13h às 22h.
Estacionamento gratuito
Mais informações: playartepictures.com.br

Uma das salas retrô do Cine Marabá © Reprodução

Tem algum programa paulistano que você adora que não foi para a lista? Conta para a gente o que você mais gosta da nossa querida São Paulo!

Tem mais:

by Fernanda Guimarães

você também vai <3: