Home / Lifestyle / Cultura / Por que é ok simplesmente amar "Simplesmente Amor"

Lifestyle

Por que é ok simplesmente amar "Simplesmente Amor"

by Maria Cecília Arra Published on 21 de dezembro de 2015
© Reprodução

Não há realmente nada de errado em encarar este filme como parte das tradições de fim de ano

Sem dúvidas, Simplesmente Amor (2003) tornou-se tão onipresente no mês de dezembro quanto cidra de maçã e peru de Natal. Quase mais pop do que o próprio bom velhinho.

Porém, haters gonna hate: tem muita gente que considera o filme cínico, o menos romântico dos românticos, o mais chatinho e difícil de engolir. Quanto a isso, vamos concordar em discordar, tá? Porque se as coisas não dão 100% certo é sinal de que a história está bem mais próxima da realidade que o habitual. E o que isso tem de errado? Nada. É mais do que ok amar Simplesmente Amor - é quase óbvio. Aos que duvidam, os fatos:

A gente se identifica (às vezes, um pouco demais)

Tem tanta história que é impossível não se enxergar em algum personagem (e sofrer com ele). A Juliet de Keira Knightley é definitivamente a maior representante dos destroçadores de corações desse mundo! Certo, sem julgamentos.

O ponto aqui é outro. Talvez aquele grande elefante branco chamado amor não correspondido seja o verdadeiro culpado desse final infeliz.

Juliet e Mark, Simplesmente Amor

"Pra mim, você é perfeita"

É brega. E daí?

O que você esperava? É um filme de fim de ano!

Simplesmente Amor

"Estou apaixonado"

Você percebe que nunca é jovem demais para amar

Liam Neeson, você está completamente errado:

Sam, Simplesmente Amor

"Você não é um pouco jovem para se apaixonar?"

É absolutamente engraçado

​Quem aí adivinharia que Hugh Grant seria tão bom dançarino? Sem mencionar que o papel de político importante lhe caiu muito bem!

Sam, Simplesmente Amor

Descobrimos o que realmente acontece com os personagens de Emma Thompson e Alan Rickman

Uma questão que estava atormentando os fãs foi finalmente elucidada. Karen (Emma Thompson) e Harry (Alan Rickman) ficam juntos depois do caso com a secretária? Emma Freud, que integrava a equipe de roteiristas e é casada com o autor e diretor do filme, Richard Curtis, tuitou sobre o assunto.

Tudo começou com uma pergunta da usuária @carlotta429: "Será que alguém já se perguntou se Harry estava REALMENTE tendo um caso ou só estava tentado?". A resposta de Emma Freud foi categórica: "Definitivamente, sim. Eu implorei a Richard para que fosse apenas um flerte, mas não".

Em outro tuíte, a roteirista confirmou que Karen escolhe ficar com o marido, mesmo depois de saber da traição – o que não fica claro na cena final dos personagens (Karen dá um frio beijo na bochecha de Harry, lembra?). "Eles ficam juntos, mas a casa não é feliz como antes".

Pensando bem, Harry (Alan Rickman) é ainda pior que Juliet (Keira Knightley)

Nós preferimos continuar nos lembrando de Rickman como Professor Snape. Menos doloroso, sabe?

Simplesmente Amor

O filme faz lembrar que o amor pode não ser lá essas coisas

A verdade é que o amar é assustador e nem sempre dá certo. Se nove entre dez longas mostram justamente o contrário, é sinal de que Simplesmente Amor não é mais só em filme de Natal.

Simplesmente Amor

E mesmo que não funcione, você deve declarar seu amor

Sempre! Ainda mais no fim ano.

Simplesmente Amor

Este texto foi escrito por @cicaarra

Continue com a gente!

by Maria Cecília Arra

você também vai <3:

por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino