Home / Lifestyle / Cultura / Por que é ok simplesmente amar "Simplesmente Amor"

© Reprodução
Lifestyle

Por que é ok simplesmente amar "Simplesmente Amor"

by Maria Cecília Arra Published on 21 de dezembro de 2015

Não há realmente nada de errado em encarar este filme como parte das tradições de fim de ano

Sem dúvidas, Simplesmente Amor (2003) tornou-se tão onipresente no mês de dezembro quanto cidra de maçã e peru de Natal. Quase mais pop do que o próprio bom velhinho.

Porém, haters gonna hate: tem muita gente que considera o filme cínico, o menos romântico dos românticos, o mais chatinho e difícil de engolir. Quanto a isso, vamos concordar em discordar, tá? Porque se as coisas não dão 100% certo é sinal de que a história está bem mais próxima da realidade que o habitual. E o que isso tem de errado? Nada. É mais do que ok amar Simplesmente Amor - é quase óbvio. Aos que duvidam, os fatos:

A gente se identifica (às vezes, um pouco demais)

Tem tanta história que é impossível não se enxergar em algum personagem (e sofrer com ele). A Juliet de Keira Knightley é definitivamente a maior representante dos destroçadores de corações desse mundo! Certo, sem julgamentos.

O ponto aqui é outro. Talvez aquele grande elefante branco chamado amor não correspondido seja o verdadeiro culpado desse final infeliz.

Juliet e Mark, Simplesmente Amor

"Pra mim, você é perfeita"

É brega. E daí?

O que você esperava? É um filme de fim de ano!

Simplesmente Amor

"Estou apaixonado"

Você percebe que nunca é jovem demais para amar

Liam Neeson, você está completamente errado:

Sam, Simplesmente Amor

"Você não é um pouco jovem para se apaixonar?"

É absolutamente engraçado

​Quem aí adivinharia que Hugh Grant seria tão bom dançarino? Sem mencionar que o papel de político importante lhe caiu muito bem!

Sam, Simplesmente Amor

Descobrimos o que realmente acontece com os personagens de Emma Thompson e Alan Rickman

Uma questão que estava atormentando os fãs foi finalmente elucidada. Karen (Emma Thompson) e Harry (Alan Rickman) ficam juntos depois do caso com a secretária? Emma Freud, que integrava a equipe de roteiristas e é casada com o autor e diretor do filme, Richard Curtis, tuitou sobre o assunto.

Tudo começou com uma pergunta da usuária @carlotta429: "Será que alguém já se perguntou se Harry estava REALMENTE tendo um caso ou só estava tentado?". A resposta de Emma Freud foi categórica: "Definitivamente, sim. Eu implorei a Richard para que fosse apenas um flerte, mas não".

Em outro tuíte, a roteirista confirmou que Karen escolhe ficar com o marido, mesmo depois de saber da traição – o que não fica claro na cena final dos personagens (Karen dá um frio beijo na bochecha de Harry, lembra?). "Eles ficam juntos, mas a casa não é feliz como antes".

Pensando bem, Harry (Alan Rickman) é ainda pior que Juliet (Keira Knightley)

Nós preferimos continuar nos lembrando de Rickman como Professor Snape. Menos doloroso, sabe?

Simplesmente Amor

O filme faz lembrar que o amor pode não ser lá essas coisas

A verdade é que o amar é assustador e nem sempre dá certo. Se nove entre dez longas mostram justamente o contrário, é sinal de que Simplesmente Amor não é mais só em filme de Natal.

Simplesmente Amor

E mesmo que não funcione, você deve declarar seu amor

Sempre! Ainda mais no fim ano.

Simplesmente Amor

Este texto foi escrito por @cicaarra

Continue com a gente!

by Maria Cecília Arra

você também vai <3: