Home / Maternidade / Filhos / A chegada de um novo irmão: dicas para lidar com o ciúme infantil

© pixabay.com
Maternidade

A chegada de um novo irmão: dicas para lidar com o ciúme infantil

by Redação taofeminino Published on 28 de setembro de 2016
107 shares
A-
A+

O nascimento de um irmão mais novo muda muita coisa da rotina habitual da sua família, que pode provocar ciúmes no pequeno mais velho. Por isso, listamos 10 dicas de um especialista sobre como lidar com a situação. Traduzido por Juliana Couto

O ciúme na infância tem uma certa frequência e a causa mais comum para que nossos filhos o sintam é a chegada de um novo irmão. A criança, acostumada a não compartilhar nem o tempo bem o cuidado de seus pais, agora precisa se acostumar a dividir a atenção com outro (e até a não receber atenção quando a solicita), principalmente porque, como todos pais de segunda (e terceira, quarta) viagem já sabem, o puerpério de um novo filho é mais desgastante do que toda a novidade que foi do primeiro.

Compreendendo o olhar da criança

A maioria dos pais quer esperar um pouco antes de ter um segundo filho. É normal: precisamos ver a nós mesmos em nosso novo papel como pais, recuperar o tempo como casal, conciliar a vida profissional com as demandas do bebê. Os pais aplaudem cada conquista do filho, cada superação que o faz crescer: o desfralde, comer sozinho, ir para a escola sem chorar. Assim, quando o primeiro filho está em um bom caminho de desenvolvimento e crescimento, decide-se que é um bom momento para ter o segundo filho. Para os pais é normal, mas imagine como é estranho para a criança conviver com alguém que não pode brincar, que acorda várias vezes ao longo do dia para mamar, que faz xixi em muitas fraldas e que fica com a mamãe o dia todo porque não vai à escola.

A criança mais velha pode começar a pedir mais atenção e até mesmo regredir em seu processo de desenvolvimento, pode baixar sua autoestima e se mostrar mais ansiosa. Se os pais notarem sentimentos como inveja, ressentimento, tristeza, teimosia ou agressividade com o irmão é importante procurar ajuda de um profissional, a fim de que ele consiga voltar ao seu comportamento o mais rápido possível. De qualquer maneira, é importante que os pais saibam que conversar e dar muito carinho é essencial para que o filho mais velho supere essas sensações.

10 dicas para criar harmonia entre irmãos

1. Se você está bem, todos estão bem. A saúde da mãe após o parto é essencial para que todas as mudanças que envolvem a expansão da família serem mais calmas. Manter seu sistema nervoso equilibrado depois de dar à luz, manter sua alimentação em dia (e equilibrada) vai tornar a maternidade com mais de um filho bem mais fácil.

2. Conciliar os dois bebês depois do parto fará com que eles cresçam tranquilos e com uma grande capacidade de adaptação. Uma dica é buscar um tratamento com quiropraxia familiar a longo prazo.

3. Um bom relacionamento mãe-filho minimiza a possibilidade de ciúmes do novo bebê. Promover uma relação de apego desde o nascimento faz com que nossos filhos cresçam e forma segura o suficiente para saberem que são muito amados pela mãe e por todos os seus familiares.

4. Crie o hábito do carinho em sua casa. Beijos de bom-dia, de boa-noite, quando vocês saem, quando vocês chegam, não só entre os pais, mas também entre os irmãos. As diferençar de opinião não podem minimizar o amor que sentimos pela nossa família. Isso dá segurança a todos. Podem ser feitos jogos em uma mesa para falar sobre as qualidades de cada um, incentivando a todos a superarem desafios de forma assertiva. Os laços de afeto (e a consideração pelo outro) não caem do céu.

5. Os pais são os espelhos dos filhos. Por isso, os casais precisam tomar cuidado com o modo como falam na frente de seus filhos. Sejamos pessoas estáveis e equilibradas.

6. Se o casal decidiu que terá mais de um filho, quanto menor for a diferença de idade mais fácil será a convivência. Se eles sentirem desde pequenos que nunca estiveram sozinhos, todo o desenvolvimento será mais fácil.

7. Não ceda a chantagens emocionais, porque isso pode se tornar mais uma batalha dentro de casa. Procure avaliar a situação com serenidade. A mãe pode deixar os filhos por algumas horas com o pai para voltar para casa com mais certeza e tranquilidade sobre o que deve ser feito para reconduzir a situação.

8. Preste atenção ao estilo educativo e ao clima familiar que se cria em casa. Às vezes, sem nos darmos conta, nos identificamos mais com um filho do que com o outro e começamos a compará-los, o que pode criar competição e conflitos entre eles.

9. Mantenha um estilo de escuta ativa, de ternura e de comunicação nos quais todos sentem que tem um papel de destaque e são valorizados. Haverá momentos de tensão, mas criar os filhos com o sentimento de tribo (“um por todos e todos por um”) faz com que eles entendam suas atitudes e sua cooperação tem um propósito maior para o bem comum, não para sua própria satisfação. Isso lhes dá uma perspectiva mais ampla sobre a vida.

10. ​Fazer calendários com divisão de tarefas para as crianças fará com que os pequenos entendam que todos colaboram para ajudar em casa e que ninguém faz mais do que ninguém. Cada criança é diferente, por isso tente melhorar suas qualidade e atividades e não os comparar entre si, nem os desvalorizar em público ou em casa.

Nova fase

Tenha em mente: é uma fase, como tudo na maternidade. Converse com outras mães, com os professores de jardim de infância ou na escola, participe de oficinas de maternidade, organize-se com o seu especialista em quiropraxia e faça atividades para recuperar algum tempo só seu entre todas as suas obrigações. Em qualquer caso, você verá que esses episódios são transitórios e que grandes doses de paciência, amor e bom humor você pode superar tudo.

Ainda não acabou!

Veja também: Jeitos inusitados para contar sobre a gravidez aos parentes e amigos

Se você gostou de ler sobre ciúmes infantil, aproveite:

by Redação taofeminino 107 shares