Home / Comportamento / Sexo / Método Billings: contracepção livre de hormônios

© iStock
Comportamento

Método Billings: contracepção livre de hormônios

by Ana Paula Sanches Published on 12 de junho de 2015

Ele promete aumentar o autoconhecimento da mulher e evitar uma gravidez sem o uso de pílulas

Os últimos casos de trombose e problemas de saúde causados pelo uso de pílulas anticoncepcionais vêm assustando muitas mulheres, mas poucas sabem que existem métodos contraceptivos que vão além dos tradicionais comprimidos e camisinha. O método Billings é um deles: promete oferecer proteção contra a gravidez e é 100% natural, sem riscos à saúde.

O diferencial do método Billings é que ele depende unicamente da observação do muco cervical feminino e, com isso, oferece um conhecimento maior da mulher sobre o seu corpo. Mas, claro, a prática leva à perfeição, logo é essencial que você respeite o seu tempo e não tente se apressar no aprendizado do processo.

Assim como todas as formas contraceptivas, o Billings possui os seus prós e contras. Para explicar todos eles a você nós desmembramos a apostila da Billings Life (clínica australiana que é referência mundial no método) e conversamos com os ginecologistas Diana Vanni e Domingos Mantelli, de São Paulo. Saiba tudo sobre o método Billings a seguir:

Antes de tudo, alguns alertas

Antes de adotar o método Billings como forma de contracepção, converse com o seu ginecologista. Existem alguns fatores que devem ser levados em consideração, como explica a médica Diana: “é essencial que a mulher que deseja seguir o método Billings tenha o ciclo absolutamente regular, caso contrário pode acontecer de ela ovular em um dia fora do esperado e não perceber”. Além disso, é importante estar com a saúde ginecológica em dia. “Problemas como a candidíase, que acarretam em corrimentos vaginais, atrapalham a observação do muco cervical e podem confundir a mulher, levando a interpretações erradas sobre a fase do período em que ela se encontra”, conclui a especialista.

Ambos os ginecologistas também afirmam que o método Billings é mais indicado para mulheres que tenham um relacionamento estável. Isso porque não há como os médicos garantirem que todas as mulheres terão conhecimento o bastante para avaliarem o seu ciclo e tirarem as conclusões corretas, o que pode ocasionar uma gravidez inesperada. Portanto, se mesmo solteira você optar por ele, redobre a atenção aos sinais do seu corpo.

Por fim, mas não menos importante: lembre-se que o único método eficaz para evitar as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) é a camisinha. Não abra mão dela!

O que é o método Billings?

O método Billings (também conhecido como “MOB – Método de Ovulação de Billings) é um método contraceptivo que vem sendo estudado há 50 anos.

A técnica é frequentemente confundida com a tabelinha, o que é um erro: o Billings considera fatores biológicos individuais, e não apenas a contagem dos dias do mês. Nele, a mulher deve avaliar as alterações da sua secreção natural ao longo do mês, pois são essas mudanças que indicam em qual período de fertilidade elas estão.

Indicações e contraindicações do método Billings

Segundo o ginecologista Domingos Mantelli, o método Billings é indicado para mulheres com alergia ao látex do preservativo e àquelas que não podem fazer uso de métodos hormonais devido a problemas como trombofilia, sangramento, risco de trombose ou de câncer.

A contraindicação vai para mulheres com ciclos menstruais desregulares e as que tem dificuldade ou insegurança para acompanhar os sinais e mudanças do corpo.

A especialista Diana ainda levanta outra questão importante que entra nas contraindicações: a idade. “As mulheres começam a ter alterações hormonais importantes entre os 38 e 40 anos e a incidência de gravidez inesperada é bastante grande nessa faixa etária, portanto talvez o método não seja o mais indicado a elas – a não ser, é claro, que uma gravidez espontânea não seja um empecilho nas suas vidas”.

Por fim, Diana ressalta a importância de avaliar caso a caso antes de indicar qualquer forma de contracepção. “Métodos contraceptivos devem ser individualizados de acordo com as necessidades da mulher. Não acredito que exista um método melhor do que o outro, ou apenas um que funcione com todas as mulheres: devemos estudar caso a caso e encontrar a melhor forma de contracepção para cada pessoa”, conclui a médica.

Agora, vamos ver passo a passo o que você deve fazer para seguir o método Billings:

1º Passo: descubra o que significam os tipos de muco que você tem ao longo do mês

- Pós menstruação: nos 5 dias seguintes a menstruação os seus níveis de hormônio ficam baixos. Você pode notar a ausência de muco ou a presença de um muco esbranquiçado, mas sem elasticidade nenhuma. Isso indica que você está infértil, logo, não pode engravidar.

DICA: para verificar a elasticidade do muco, pegue um pouco da calcinha ou direto da vagina (com as mãos limpas, claro) e coloque-o entre o polegar e o indicador, tentando estica-lo (faça um movimento de pinça com o seu polegar e indicador). Se ele se esticar consideravelmente entre os dedos (algumas vezes eles conseguem se esticar por até 5 cm), é um muco fértil e você não deve ter relações sexuais. Se não esticar, indica infertilidade.

- Começo da fertilidade (fase transitória): essa é a fase que se inicia no fim dos dias inférteis pós-menstruação e antecede o período altamente fértil. Nessa fase o muco começa a mudar de consistência: é um pouco mais elástico do que o anterior, pegajoso e leitoso. Aqui, embora não seja tão fácil, já é possível engravidar, portanto relações também devem ser evitadas.

- Dia altamente fértil: o último dia com esse muco mais escorregadio e elástico é o dia da sua ovulação, ou seja, o mais fértil do mês e ideal para uma gravidez (atenção a ele caso você não queira um bebê). Você só vai conseguir perceber que ovulou no dia seguinte, quando não tiver mais a sensação de muco escorregadio e começar a perceber uma diminuição no líquido, voltando gradativamente ao muco da fase infértil como o da pós-menstruação.

A ovulação ocorre no dia do pico de fertilidade (esse que citamos acima, com o muco mais elástico). Em alguns casos ela pode ocorrer em no máximo dois dias depois desse pico. O óvulo sobrevive por 24h, logo, depois de 3 dias o seu período fértil terá acabado e, junto com ele, as suas chances de engravidar.

2º passo: deixe-se conhecer o seu corpo

Se você nunca pensou que o muco cervical podia dizer tanto sobre a sua fertilidade, provavelmente não reparou nas alterações que ele sofre ao longo do mês. Por esse motivo, muitos instrutores do método Billings defendem a abstinência sexual durante o primeiro mês ou pelo menos os primeiros 15 dias de iniciação do método. “Como vai ser o primeiro mês em que a mulher está conhecendo o seu organismo, ela pode se confundir e não saber exatamente qual é o período fértil”, explica Mantelli. A especialista Vanni vai além: “na minha opinião, às vezes um mês é muito pouco para conhecer bem os sinais do corpo. Quanto mais observar, mais segura a mulher se sentirá”.

Outro motivo para que alguns defendam a abstinência é que a lubrificação sexual pode confundir algumas mulheres e fazer com que elas interpretem as secreções da forma errada. Os médicos não recomendam nem a relação sexual com camisinha, como explica Mantelli, “ter relações sexuais com preservativo neste primeiro período pode atrapalhar a mulher porque a lubrificação vaginal pode ser muitas vezes confundida com o muco fértil e levá-la a uma interpretação errônea”, conclui o médico.

3º passo: faça anotações

O método Billings trabalha com as fases do ciclo menstrual do seu corpo, logo, é importante que você mantenha controle sobre elas. Para isso, faça uma tabela com todos os dias do mês e anote no final de cada dia como o seu organismo se comportou. Para isso, faça-se as seguintes questões:

- Eu estou menstruada/ tive sangramento de escape?
- Eu tive muco?
- Meu muco se manteve igual ao do dia anterior ou mudou? (mesmo que a alteração seja pequena, anote-a!)
- Eu tive relação sexual hoje?
- Se o seu pico de fertilidade aconteceu há menos de 3 dias, anote “possivelmente fértil”.

Então, se por exemplo, hoje é dia 10 e você parou de menstruar ontem (dia 9), você provavelmente anotará: “sem menstruação, muco inexistente, relação sexual”. Agora, se você notar alguma mudança no muco, escreva “sem menstruação, muco pegajoso”. Se estiver no dia fértil, “muco elástico” e espere o dia seguinte para confirmar que aquele foi o seu ápice de fertilidade. Por fim, se o seu ápice de fertilidade foi há menos de 3 dias, marcar como “muco x (especificar de acordo com o que você vê), período possivelmente fértil”.

Essa tabela ajudará você a perceber como o seu ciclo funciona e, com o tempo, fará com que você entenda melhor os sinais do seu corpo.

Os 4 mandamentos do método Billings para evitar a gravidez

1º mandamento: “Não transarás quando estiver menstruada

Você já deve ter lido que engravidar durante o período menstrual é bem mais difícil, mas para as praticantes do método Billings esse velho preceito deve ser esquecido. O sangue pode mascarar a presença do muco fértil, ou seja: se você por acaso ficar fértil enquanto estiver menstruada, não saberá. Melhor evitar problemas, certo?

2º mandamento: “Poderás fazer sexo durante o período infértil pré-ovulação, desde que em noites alternadas"

O método Billings prega que você poderá ter relação sexual no período infértil após a menstruação, desde que em noites alternadas. Assim, no final do dia você conseguirá ver se o seu muco se manteve da mesma forma que no dia anterior e saberá que continua infértil. Caso haja alguma alteração não tenha relações, porque qualquer mudança no padrão do muco pode indicar que você está entrando num período de fertilidade.

3º mandamento: “Não terás relações sexuais se houver alterações no muco"

Caso haja alteração no muco, espere. Perceba se nos próximos dias a elasticidade vai ficando maior e se a sensação de estar molhada se faz presente. Se isso acontecer e você chegar ao seu pico de fertilidade, aplique a regra dos 3 dias e a partir do anoitecer do quarto dia volte a seguir o segundo mandamento.

4º mandamento: “Poderás fazer sexo a qualquer momento a partir do quarto dia até o seu próximo período"

No quarto dia após o pico o seu óvulo já estará morto, ou seja, você não terá chances de engravidar. É claro que você deverá continuar acompanhando as mudanças do seu corpo, mas se você tem certeza de que a ovulação ocorreu, fique tranquila e siga a sua vida sexual normalmente.

Ainda não acabou!

Mais dicas pra você aproveitar ao máximo a sua vida sexual:

+ Kama Sutra decoded: veja (e experimente!) as melhores posições sexuais
+ Nova camisinha feminina promete orgasmos em 100% das vezes
+ 13 alimentos afrodisíacos para garantir prazer máximo na hora H
+ 10 fantasias sexuais para colocar em prática esta noite mesmo

tãofeminino ♥ Pinterest

by Ana Paula Sanches

você também vai <3:

por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino
por Redação taofeminino