Home / Comportamento / Sexo / Sexo anal: tudo o que você sempre quis saber (e teve vergonha de perguntar)

© iStock
Comportamento

Sexo anal: tudo o que você sempre quis saber (e teve vergonha de perguntar)

por Monique Garcia Publicado em 1 de outubro de 2015
1 802 compartilhamentos

O manual do sexo anal para mulheres iniciantes

Sexo anal assusta? Pois bem. Vamos começar de outro jeito. Cara ou coroa? Você bem sabe que toda moeda tem dois lados. Em matéria de sexo, esse clichê também se aplica, se é que nos entende. Mas, dessa vez, convidamos você, leitora, a esquecer por um momento a “cara” – no caso, a tradicionalíssima penetração vaginal – e dedicar toda a sua concentração à “coroa” – o tão polêmico sexo anal. Fazemos questão de bater nessa tecla porque, a cada careta que muitas mulheres fazem para esse assunto, seja por #nojinho ou por tabu, preciosos segundos de prazer podem estar sendo desperdiçados. Está no mood de viver uma experiência nova? Aproveite, então, o dossiê que criamos para debutar em um universo que super vale a pena ser conhecido!

Fazer sexo anal dói, doutor?

A sensual coach Fátima Moura, criadora do Chá de Lingerie (SP), avisa que, nas primeiras vezes, a penetração anal pode ser acompanhada por algum desconforto, devido à rigidez da musculatura. No entanto, esses podem não ser os únicos responsáveis pelo incômodo: além da tensão na hora H, fissuras anais e hemorroidas inflamadas estão entre os culpados. “Por isso, antes de mais nada, é importante que a mulher saiba se a região é saudável para a prática. Caso exista algum problema, ele deve ser tratado imediatamente”, comenta Alessandro Scapinelli, ginecologista (SP). Se tudo está bem, o segredo é realmente entregar-se para o momento e curtir a nova experiência.

​➙ Dúvida pertinente: sexo anal causa hemorroidas? Não necessariamente. Em alguns casos, pode provocar fissuras, diz o psicólogo e sexólogo Rodrigo Torres, da Clínica Sexestima (BH): “Isso depende da anatomia de cada um". Sobre apelar para pomadas anestésicas a fim de bloquear a dor, não há consenso entre os especialistas. Tem quem defenda, alegando que a mulher sente-se mais à vontade. Porém, esse tipo de produto tira a sensibilidade da área e dificulta a percepção de lesões, caso ocorram. Ah, e não é normal haver sangramento durante ou após o ato. Algo anormal aconteceu? Procure o médico.

Explore o território

E existe melhor forma de descobrir o que te dá prazer? “Comece a explorar a região do ânus sozinha. A melhor ocasião para fazer isso é durante o banho. Pressione-o com os dedos e perceba as sensações que o toque lhe proporciona”, sugere Fátima Moura.

Veja aqui as melhores posições para praticar sexo anal:

Dialogar sobre sexo anal é preciso

Uma boa conversa com seu parceiro pode ser a chave para derrubar mitos e tabus sobre o sexo anal e permitir que você tenha uma experiência muito mais descontraída e satisfatória. Não sinta vergonha e converse sobre todas as questões do casal. “De forma leve e assertiva, mostre suas expectativas e até onde gostaria de chegar”, ensina Lelah Monteiro, sexóloga e membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual (SP). O mais importante é que o desejo de praticar o sexo anal seja mútuo entre os pombinhos. “É preciso saber se uma das partes está cedendo apenas para agradar a outra. Caso um dos dois não queira, o respeito deve prevalecer acima de qualquer coisa”, completa Juliana Bonetti, psicóloga especialista em sexualidade (SP).

Capriche na higiene. MESMO!

“O reto e o canal anal acomodam fezes e muitas bactérias. Por isso, antes do sexo, além de evacuar previamente para evitar situações constrangedoras, é fundamental higienizar a região durante o banho, como todos os dias”, explica Alessandro Scapinelli. A sugestão de Fátima Moura é aproveitar a situação e tomar uma ducha junto do guapo. “Isso já é uma ótima preliminar!”, comenta a expert. A higiene com água e sabonete deve se repetir após os momentos calientes.

Preliminares para o sexo anal: invista sem moderação

O ânus é uma área cheia de nervos e megassensível. Portanto, é possível, sim, sentir prazer. Tudo é questão de jeito: a erotização e a excitabilidade são determinantes para atingir seu objetivo – e é aí que entram as preliminares. Para começo de conversa, o seu melhor amigo, nessa etapa (e também durante a penetração), é o lubrificante. “Como a região anal não possui lubrificação natural como a vagina, esse tipo de produto ajuda bastante. Prefira versões à base de água”, recomenda Lelah Monteiro. Que tal pedir para que o seu querido o aplique no ânus com delicadas massagens? “Depois, peça para ele introduzir um dedo (devagar, ok?) para que a musculatura fique mais relaxada”, acrescenta Fátima Moura. Beijos, toques pelo corpo, estímulos vaginais AND brinquedinhos também são mais do que bem-vindos. “Ir ao sex shop estimula a curiosidade e coloca a mulher em contato com fantasias que até então poderiam ser desconhecidas”, conta Juliana Bonetti. Se quiser fazer um esquenta e dar uma treinada antes de partir para o ataque, os plugues anais cumprem bem a função de simular a penetração. Alguns cuidados devem ser levados em consideração: “O acessório deve ser inquebrável e o mais liso possível, sem rebarbas. A ponta deve ser mais fina, com um aumento progressivo de sua espessura e uma base larga ao final para impedir a introdução total do acessório e garantir que seja facilmente retirado do ânus”, alerta Fátima Moura. Ah, e trate de vestir o plug com camisinha e introduzi-lo com cautela, combinado? Não economize no lubrificante.

Preservativo s-e-m-p-r-e

De acordo com Alessandro Scapinelli, o sexo anal, por conta da grande absorção local na região do ânus, aumenta as possibilidades de infecções sistêmicas caso o parceiro não use camisinha e tenha alguma doença sexualmente transmissível. “A infecção pelo HPV, por exemplo, pode causar até mesmo câncer na região”, avisa o ginecologista.

➙ Dúvida pertinente: preciso usar camisinha durante o sexo anal mesmo que eu e meu parceiro não tenhamos DSTs? Sim, senhora. Como já comentamos por aqui, o ânus acumula uma série de impurezas... Ew! “Caso o casal queira partir para a penetração tradicional após o sexo anal, a troca de camisinha é indispensável para evitar a contaminação da vagina”, endossa Lelah Monteiro.

➙ Dúvida pertinente: é possível engravidar fazendo sexo anal? Isso é mito. A sexóloga Gabriela Monéa (SP) identifica o porquê: “A penetração não ocorre no canal que tem ligação com os órgãos reprodutores da mulher, mas sim no ânus e no reto”. Porém, vale prestar atenção para que o esperma não escorra até o canal vaginal - aí sim, há chance de um espermatozoide chegar ao óvulo e você engravidar.

O rala e rola no sexo anal

Não tenha pressa e faça tudo no seu ritmo e com muito carinho. Quanto mais excitada estiver, melhor! “O ideal é que o pênis seja encaixado de lado – a ‘conchinha’ é a melhor posição para iniciantes”, indica Lelah Monteiro. Assim, você controla o nível da penetração, que nesse caso não é tão profunda, pode ganhar outras carícias do moçoilo e, de quebra, se sente muito mais segura. “O uso de almofadas também facilita bastante a vida de quem está começando a praticar o sexo anal”, afirma a sexóloga. Ficou craque na coisa? “Ficar de quatro, ou seja, de joelhos e cotovelos na cama, enquanto o parceiro se posiciona por cima e penetra também é uma posição bastante indicada”, comenta Juliana Bonetti. Mas só a coloque em prática quando estiver mais experiente, já que, nela, a penetração é bem mais profunda e o controle da mesma fica por conta do homem. “Certifique-se de que ele seja delicado e vá devagar. Durante o ato, estabeleçam um diálogo para se assegurarem de que ambos estão confortáveis”, aconselha a psicóloga. Em tempo: todo o enrosca pode acontecer simultaneamente com o estímulo do clitóris, viu? São poucas as mulheres que conseguem chegar ao clímax apenas com a penetração anal, e a masturbação pode ser o empurrãozinho que falta para você chegar lá, já que ela multiplica o seu prazer (tipo assim, o fogo vira incêndio, sabe?).

➙ Dúvida pertinente: é verdade que o ânus vai "afrouxando" depois de um tempo de prática? Depende. A sexóloga Gabriela Monéa garante que, se os envolvidos estiverem a fim e a fricção do pênis no ânus for atenuada com lubrificante e camisinha, não há motivo para o medo. “Isso dificilmente ocorrerá, desde que exista lubrificação, a garota fique relaxada e não apresente problemas na região anal”,

Este texto foi escrito por @moniquezg e editado por @cicaarra.

Para o termômetro continuar subindo:

por Monique Garcia 1 802 compartilhamentos

você também vai <3: