Home / Lifestyle / Cultura / Liberdade, Liberdade: mulher forte e destemida quebrando padrões. É disso que precisamos

© Uol
Lifestyle

Liberdade, Liberdade: mulher forte e destemida quebrando padrões. É disso que precisamos

by Luciana Console Published on 11 de abril de 2016

O que esperar desta novela que mal conhecemos, mas já consideramos pakas?

A representatividade da personagem de Andreia Horta na nova produção das 23h da Globo, Liberdade, Liberdade, dirigida por Mario Teixeira, é importante para o atual momento de empoderamento feminino que estamos vivendo. Existir uma mulher forte, corajosa e questionadora em uma novela da maior emissora do Brasil é bem significativo. Andreia interpreta Joaquina, a filha de ninguém menos que Tiradentes, líder da Inconfidência Mineira.

A história

O enredo é fictício, infelizmente, mas há relatos históricos de uma suposta filha de Joaquim José da Silva Xavier – nada muito claro devido à escassez de documentos da época. O que podemos concluir é que não é impossível que hajam herdeiros de Tiradentes por aí, afinal, ele era um homem boêmio.

Liberdade, Liberdade será ambientada no início do século 19 em Vila Rica, Minas Gerais. Após a morte do pai e ainda criança, Joaquina é levada às escondidas para Portugal por Raposo, revolucionário amigo de Tiradentes. Por questões de segurança, a menina tem o nome trocado para Rosa e sua verdadeira origem esquecida. Com a mudança da família real portuguesa para o Brasil, Raposo acaba acompanhando a Corte e volta com a família e uma Joaquina já adulta, forte e destemida.

Preparação do elenco

Andreia Horta fez curso de esgrima e, assim como as outras atrizes do elenco, foi orientada a deixar a depilação de lado. Este assunto, inclusive, já gerou polêmica: Sheron Menezes, que dá vida a uma escrava alforriada, postou uma foto em seu Instagram mostrando a axila não depilada. Choveram críticas.

O que podemos esperar?

A novela é um programa de entretenimento e não tem como objetivo principal quebrar estereótipos e padrões sociais. Porém, é inegável o poder que as novelas exercem por aqui (e internacionalmente também, pois o Brasil é um grande exportador de conteúdo noveleiro). Além de ditarem tendências, elas têm grande influência comportamental e, no mínimo, geram a discussão de algum assunto.

É inegável a importância de Joaquina em uma novela de horário de grande audiência. Além de protagonista, é uma mulher contestadora, em uma época onde a condição feminina era muito, muito pior do que atualmente. E não podemos ignorar a questão da depilação das moças, que apostamos que será um dos grandes tabus a mexer com a opinião das pessoas. Tudo leva a crer que a personagem de Andreia é feminista, resta sabermos como será o desenvolvimento ao longo dos capítulos e se este viés será mantido. Vamos esperar pra ver.

Já vai embora? Nãão, fica mais!

by Luciana Console

você também vai <3: