Home / Bem-Estar / Dieta / Por que emagrecer NÃO deveria ser o seu principal objetivo

© iStock
Bem-Estar

Por que emagrecer NÃO deveria ser o seu principal objetivo

by Juliana Vaz Published on 11 de fevereiro de 2016

Pronta para começar o #projetofitness 2016? Melhor ler este texto antes de começar

Mudar ou abandonar maus hábitos é o desejo da maioria das pessoas: 'perder peso', 'ser mais organizado' e 'gastar menos' formam o top 3 resoluções de ano novo para os entrevistados de uma pesquisa realizada pela Universidade de Scranton, na Pensilvânia (EUA). Os dados coletados também mostram que apenas 8% das pessoas conseguem manter os objetivos – a maioria desiste após uma semana de tentativa. Enquanto isso, no Brasil... o cenário é parecido. Vai dizer que você não concluiu 2015 prometendo para si mesma que nos próximos 12 meses faria dieta para eliminar os quilinhos extras? Se quer saber, achamos ótimo que deixar pra lá rotinas prejudiciais seja um objetivo. Mas emagrecer não deveria receber o selo de prioridade na sua lista. Sabe por quê?

1. Você não é igual a todo mundo

Estatisticamente já comprovamos que perder peso é a meta da maioria das pessoas. É tão comum que vai além do clichê, é entediante. Somos a favor de fazer o que você tiver vontade, sempre. Mas, reflita se perder peso é uma questão ligada à sua autoestima ou à cobrança social para se adequar. Em qualquer comercial vemos modelos magérrimas ou corpos esculpidos à base de muito whey protein – e dedicação exclusiva a horas diárias de exercícios. Ao tirar esse item da sua lista, você não está só sendo mais original e criativa, como dizendo para toda sociedade que você não liga para a ditadura da magreza. E que isso não é a coisa mais importante a se fazer esse ano.

Beyonce

2. Muita calma nessa hora

Não importa quais sejam as suas, mas metas causam certa pressão. E pressão, amiga, dificilmente leva ao sucesso.

3. Realidade X metas

Perder 5 quilos em um mês é possível? Sim, é. Mas, além de orientação especializada, requer dedicação. Ao invés de ter uma meta agressiva, que tal começar com aos poucos? Sabemos que você quer resultados rápidos, mas analise bem o caminho até chegar lá. “O primeiro passo é mudar progressivamente. Dietas altamente restritivas são transitórias, e para entrar no ano com o pé direito é essencial reeducar os hábitos, e daí eles poderão se tornar contínuos”, diz Ana Luisa Vilela, nutróloga da Clínica Slim Form (SP).

4. O jogo pode virar

Um outro problema de dietas drásticas é que, sim, você pode perder muito peso, recuperá-lo todo depois. Em pesquisa realizada pelo departamento de Alimentação da Universidade Minnesota (EUA) verificou-se que a maioria das pessoas perde entre 5 a 10% de seu peso inicial ao restringirem a alimentação, mas tendem a acabar jogando por água abaixo o ganho ao fim da dieta.

mean girls

5. Ser saudável é muito mais que seu peso na balança

Ser magra não quer dizer ser saudável, assim como ser gorda não diz nada. Desempenho físico e níveis bioquímicos, tais como colesterol e diabetes, independem do número do seu jeans.

6. Perder peso não vai mudar sua vida tanto assim

A não ser que sua saúde dependa disso, perder 5, 10, 15 quilos não vai fazer sua vida fica maravilhosa como mágica. Ao emagrecer, você não ganhará na loteria, terá mais amigos ou o Adam Levine irá bater à sua porta. Não ter mais esses quilinhos extras podem fazer bem agora, mas não vai transformar seu mundo em um lugar perfeito.

7. Você é sexy exatamente do jeito que você é

Olhe bem para você... você é maravilhosa! Além de sexy, inteligente e interessante. A vida é muito curta para deixar que outra pessoa coma o último pedaço de pizza.

Beyonce

Fica mais com a gente! Leia aqui sobre dieta e saúde:

+ Tem dormido pouco? Isso pode fazer com que você engorde
+
Descubra agora qual é a melhor estratégia de emagrecimento para você
+ Snacks saudáveis: lanchinhos que ajudam na dieta

by Juliana Vaz