Home / Bem-Estar / Fitness / ChiRunning: para correr sem esforço, nem lesões

Bem-Estar

ChiRunning: para correr sem esforço, nem lesões

Fernanda Guimarães
by Fernanda Guimarães Published on 30 de março de 2015
A-
A+

A técnica promete menos suor à toa, zero dor e você de bem com a esteira. Gostou? Então vem que a gente explica

Pode ser que você não nunca tenha ouvido falar de ChiRunning ou te parecer mais um exercício da moda, mas é bem possível que, no futuro, a técnica esteja na ponta da língua e na rotina de qualquer corredor. Se existe um fator negativo na corrida, com certeza são as dores e complicações que a prática traz para joelhos e articulações - o que acaba desmotivando ou até em casos mais extremos proibindo o praticante de fazer qualquer outro esporte. E é aí que entra o tal do ChiRunning, com a promessa de que seus treinos vão rolar sem complicações. E melhor ainda: sem dor, nem esforço.

Basicamente, o ChiRunning ensina a correr com total precisão e controle do seu corpo de forma a diminuir a fadiga e sobretudo, respeitando a anatomia para evitar lesões. Para desvendar a técnica em primeira mão, o enfemenino.com (versão espanhola do taofeminino) conversou com Rafael Izquierdo, instrutor e codiretor do ChiRunning na Espanha e em Portugal.

O que é o ChiRunning?

O ChiRunning nasceu em 1999 com o americano Danny Dreyer. O maratonista descobriu que alguns princípios básicos do Tai Chi Chuan podiam ajuda-lo em suas corridas e introduziu conceitos (como a eficiência do movimento, a flexibilidade e o relaxamento) à prática. "É uma forma mais fácil e benéfica de correr. O ChiRunning tem dois objetivos: evitar lesões e esforço desnecessário. Ou seja, ser o mais eficiente possível para não cansar rápido e correr melhor.”, afirma Rafael.

Correr sem esforço, nem lesões: será que possível? Os princípios básicos do ChiRunning são:

  • Relaxamento e respiração correta;
  • Postura corporal adequada (aspecto que pode ser aplicado também fora das pistas);
  • Pisada neutra e uso da gravidade para impulsionar o corpo sem empurrar com as pernas e nem tocar o chão primeiro com o calcanhar;
  • Parar de recrutar as pernas para suportar todo o impacto e aprender a ativar o abdômen para correr;
  • Escutar o nosso corpo e ser consciente do que ele nos pede para evitar lesões.

A forma comum de correr, com todos os riscos de lesões e o movimento do ChiRunning

Quais são os benefícios do ChiRunning?

O ChiRunning quer mudar a cabeça que quem vê corrida como um sacrifício doloroso e cansativo, que traz mais dores do que alegrias. “Conforme o tempo passa nós nos movimentamos menos, adquirimos má postura, mudamos nossos hábitos ... E esta técnica corrige tudo isso", promete Rafael Izquierdo.

Número um: a postura no momento da corrida é corrigida e a coluna fica sutilmente inclinada em função da direção em que se corre. "É tão simples como mover os pés e os braços de forma eficiente sem queimar energia movendo-se além da conta", explica o expert. "Você aprende a usar os músculos do abdômen como no pilates ou yoga, já que você se move mais a partir do centro do que das pernas”, completa.

Além dos benefícios físicos, Rafael garante que você sente as vantagens da modalidade no dia a dia. "Você se reconecta com o seu corpo. Fica mais fácil de estar ciente de si. Por exemplo, se você está comendo, sabe o quanto é o suficiente e não vai além". O ChiRunning também ajuda a virar a chavinha na cabeça e começar a ver a corrida como um esporte que não exige tanto esforço e sacrifício. “Você acaba praticando com mais gosto e fica muito mais fácil sair para correr por prazer”.

E correr de forma consciente ajuda a diminuir o impacto nas articulações como avaliou um estudo da Universidade da Carolina do Norte. A pesquisa, feita com corredores convencionais e praticantes do ChiRunning, concluiu que que a força de impacto sobre o solo era menor no segundo grupo. “Não é necessário usar tênis caros nem com muito amortecimento. Um calçado leve já ajuda a diminuir o impacto e causar menos danos ao corpo”, explica Izquierdo.

O vídeo a seguir (em inglês) explica como é possível correr mantendo o mesmo ritmo mas em quatro velocidades diferentes usando os princípios do ChiRunning.

Loading...

E tem mais:

by Fernanda Guimarães

você também vai <3: