Home / Bem-Estar / Dieta / 10 alimentos termogênicos para potencializar a perda de peso

© iStock
Bem-Estar

10 alimentos termogênicos para potencializar a perda de peso

by Monique Garcia Published on 14 de julho de 2015

Continue rolando a página e descubra todo o poder dessas figurinhas carimbadas nas dietas. Já as conhece? Pois saiba que você também é nossa convidada: garimpamos as melhores dicas para ficar ainda mais expert no assunto e consumi-las com toda a sabedoria

A temperatura do corpo sobe, o ponteiro da balança desce. Se pudéssemos definir os alimentos termogênicos em apenas uma frase, seria essa. CUMA? Com a palavra, Talitta Maciel, nutricionista do Espaço Reeducação Alimentar (SP): “Eles possuem substâncias capazes de elevar a temperatura interna. Quando isso acontece, o organismo trabalha a todo o vapor para baixá-la, o que acelera o metabolismo e faz com que calorias e gorduras sejam queimadas com mais facilidade”, esclarece. É uma ótima maneira para turbinar a dieta, mas sem deixar de lado outros aliados – os exercícios físicos e um cardápio com itens saudáveis variados. “O ideal é aumentar o consumo de frutas, verduras, legumes, cereais e grãos integrais. Carnes magras e ovos também devem fazer parte de um plano alimentar equilibrado”, acrescenta Maiara Fidalgo, nutricionista da Fluyr Saudável (SP). Os principais alimentos termogênicos para incluir djá no seu prato você encontra aqui:

Pimenta vermelha

De acordo com Gisele Carvalho, nutricionista da Medprimus (SP), a pimenta é rica em capsaicina, substância que diminui a massa de tecido adiposo. “Ela também reduz o apetite e a ingestão de calorias”, afirma.

+ benefícios: ajuda na digestão, melhora o humor e previne diabetes.

Consumo: “A recomendação média de consumo da capsaicina é de até 30 mg por dia, o que equivale a seis unidades da pimenta dedo-de-moça ou meia unidade de pimenta malagueta”, indica Maiara Fidalgo. Dá para usar o tempero em carnes, peixes, molhos para massas, pratos doces e até mesmo em sucos e drinks.

Contraindicações: vítimas de hemorroidas e gastrite devem evitar.

Canela

Melhora a sensibilidade à ação da insulina, reduzindo o acúmulo de gordurinhas. Um estudo realizado na Universidade de Malmo, na Suécia, também constatou que, ao ingerir seis gramas diárias da especiaria, o esvaziamento do estômago aconteceu de forma mais lenta e a sensação de saciedade foi garantida.

+ benefícios: melhora os sintomas de resfriados, diminui a pressão arterial, o ácido úrico e até mesmo riscos de infartos e derrames.

Consumo: versátil, está disponível nas versões em pau ou em pó. “Para aproveitar ao máximo suas benesses, opte por sua versão orgânica. Acrescente uma pitada na sopa de lentilha ou feijão, beba chás à base do ingrediente e use-o em vitaminas de frutas com manga, abacaxi com gengibre e linhaça”, sugere Fernanda Oliveira, endocrinologista e metabologista (SP). Como recomenda o estudo acima, o ideal é consumir seis gramas de canela por dia, ou seja, uma ou duas colheres de chá. Caso opte usar a canela em pau, o ideal é moê-la manualmente.

Contraindicações: hipertensos, pessoas com problemas renais e no fígado devem visitar um nutricionista antes de consumir.

Gengibre

Os gingeróis presentes no alimento aceleram o metabolismo em 10%. “As enzimas do fígado são estimuladas a trabalhar e a eliminar toxinas. Como consequência, o sinal da saciedade chega mais rápido, deixando a pessoa sem fome por mais tempo”, explica Talitta Maciel.

+ benefícios: o gengibre combate a celulite, aumenta a libido e ainda alavanca a imunidade.

Consumo: é possível fazer uso do ingrediente de diversas formas: cru, em pó, ressecado... Vale adicioná-lo a sucos, chás, saladas e pratos salgados, como carnes e peixes. Consuma de duas a quatro gramas por dia, que correspondem a um pedaço pequeno do gengibre.

Contraindicações: seu uso não é recomendado para pessoas com hiperparatireoidismo, problemas cardíacos e de coagulação.

Cacau

O ingrediente possui teobromina, que melhora o gasto energético e favorece o ganho de massa muscular. “A aceleração do metabolismo e a consequente queima de gordura também acontecem graças à alta concentração de polifenóis no cacau”, afirma Fernanda Oliveira. Como ajuda extra, conta com a leptina, hormônio responsável por conferir saciedade.

+ benefícios: melhora a absorção do cálcio e beneficia a saúde cardíaca. Proporciona sensação de bem-estar e relaxamento, já que o triptofano presente em sua composição libera serotonina, hormônio que nos deixa feliz.

Consumo: o cacau pode ser usado em bolos, tortas, leites, bebidas vegetais, frutas e doces. “E, quando for comer chocolate, lembre-se de consumir opções com o maior percentual de cacau possível. Cacau em pó 100% e amêndoas de cacau acompanhadas de frutas e mingau também são boas pedidas”, sugere Maiara Fidalgo. O consumo não deve ultrapassar 20 gramas (uma colher de sopa) por dia.

Contraindicações: se você sofre com prisão de ventre e taquicardia, evite. Acne, gastrite e refluxos podem ser agravados pelo consumo. E maneire no chocolate: seu sabor – ao qual é difícil resistir, nós sabemos – sempre vem acompanhado de açúcares e gorduras, convertidos em calorias.

Chá verde

Segundo Talitta Maciel, o efeito termogênico que turbina o metabolismo é garantido pelas catequinas contidas na bebida estimulante. “Pesquisas também indicam que elas interagem com os receptores da leptina, hormônio que sacia”, conta. E a ciência continua a favor do líquido: um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition concluiu que o santo chá verde aumenta em 4% a perda de gordura corporal em relação a quem não o consome.

+ benefícios: diminui a absorção do colesterol, favorece a digestão e a absorção de nutrientes e tem efeito diurético.

Consumo: a receita deve ser preparada com a erva in natura. “Além de ser cheios de conservantes, produtos industrializados podem não ter as mesmas propriedades”, comenta Fernanda Oliveira, que também destaca a importância de consumir o chá logo após seu preparo. “Quando o líquido esfria, seus benefícios são perdidos”, alerta. Beba até quatro xícaras de chá por dia.

Contraindicações: não é recomendado para hipertensos, gestantes e pessoas com hiperpararatiroidismo e problemas no coração. Em excesso, o chá verde pode provocar insônia e irritabilidade.

Café

O antídoto mais usado para vencer uma manhã sonolenta, como você já deve saber, é rico em cafeína. Essa substância tem ação lipolítica e usa como fonte de energia a gordura armazenada no organismo, ajudando a dar cabo delas. “O café eleva a taxa metabólica em até 11%”, aponta Talitta Maciel.

+ benefícios: dá um gás na concentração e no rendimento das atividades físicas, resguarda o sistema imunológico, o coração e a visão – além de ajudar a prevenir a diabetes tipo 2.

Consumo: como se trata de uma bebida estimulante, evite consumi-la após as 17 horas. “Para ter mais disposição para treinar, lance mão do café 30 minutos antes do início da atividade”, propõe Maiara Fidalgo. Beba, no máximo, três xícaras por dia. Caso opte pelo expresso, uma já é o suficiente.

Contraindicações: se você tem gastrite, insônia, ansiedade exacerbada e sofre com refluxos, diminua a chance de perrengues mantendo distância da bebida.

Vinagre de maçã

Possui ácido acético, catequinas e quercetinas que, além de termogênicos, são antioxidantes. “O tempero ainda tem ação digestiva, contribui para a diminuição da gordura corporal, regula a glicemia, é diurético, reduz a fome e é fonte de fibras, indispensáveis para regularizar o funcionamento do intestino”, comenta Talitta Maciel.

+ benefícios: por ser rico em ferro, trata a anemia, artrite e asma. Recorra a ele para cuidar das madeixas, controlar a hipertensão e manter a vitalidade do fígado.

Consumo: é ótimo para preparar saladas e até mesmo ser diluído em água ou suco de frutas. A dica de Fernanda Oliveira é apostar no vinagre não filtrado. “Nele, são encontrados resíduos da fruta que promovem efeito probiótico, que melhoram a imunidade”, afirma. Dilua de uma a duas colheres de chá em 200 ml de água e use-o nas refeições uma ou duas vezes ao dia.

Contraindicações: pessoas com gastrite, esofagite e aftas podem ser mais sensíveis ao vinagre. Quando ingerido em excesso, por conta de sua acidez, pode desgastar o esmalte dos dentes.

Óleo de coco

Oxida as gorduras e promove sua quebra, expulsando-as do corpo com sua conversão em energia. Também é amigo do intestino, reduz a liberação exagerada de insulina, engana a fome e reduz a compulsão por doces.

+ benefícios: “Apesar de ser classificado como gordura saturada, o óleo de coco reduz os níveis de colesterol ruim (LDL) e eleva sua versão boa (HDL). Portanto, quando consumido em doses adequadas, reduz o risco de doenças cardiovasculares”, acredita Fernanda Oliveira. Também auxilia na cicatrização de feridas.

Consumo: na hora de preparar os alimentos, experimente substituir o óleo de soja, girassol ou de manteiga pela versão de coco extra virgem. Diferentemente dos demais, ele mantém suas propriedades benéficas durante o cozimento. Se não curtir o sabor forte do coco, amenize-o misturando óleo de gergelim e azeite em partes iguais. Também pode ser batido cru junto com iogurtes, shakes ou sucos. Uma colher de sopa por dia já é o suficiente.

Contraindicações: quadros de disfunção no fígado e refluxos podem ser piorados com o consumo do item.

Guaraná em pó

O energético natural gera mais energia e disposição. “Culpa da alta concentração de cafeína, que estimula a liberação de dopamina e adrenalina na corrente sanguínea, responsável por combater o cansaço físico e mental”, avalia Maiara Fidalgo. Ele também regula o intestino, ajudando a eliminar as toxinas.

+ benefícios: a teobromina presente em sua composição age como broncodilatador, dando uma mãozinha no tratamento de doenças respiratórias. Mais: estimula a renovação celular (alguém aí falou em pele jovem e revigorada?).

Consumo: acrescente o pó a sucos, iogurtes, vitaminas ou saladas de frutas. O melhor horário para consumi-lo é pela manhã, para que a dose extra de energia te dê uma força ao longo do dia. O uso pode ser diário, não ultrapassando o limite de uma a duas colheres de café.

Contraindicações: é hipertensiva ou tem problemas gastrointestinais? Melhor não usar. O mesmo se aplica a gestantes e mulheres em período de amamentação.

Água gelada

Ao ingerir o líquido gelado, o organismo gasta mais energia para igualá-lo à temperatura corporal, que gira em torno de 36ºC. “Oito copos com 200 ml de água gelada conseguem torrar aproximadamente 100 calorias”, calcula Maiara Fidalgo. Como o efeito é sutil, você pode – e deve! – beber bastante água diariamente. Junto ao fígado, ela promove uma verdadeira limpeza no corpo, expulsando as toxinas que atrapalham a perda de peso.

+ benefícios: a água hidrata, rejuvenesce, combate a celulite e melhora o funcionamento dos órgãos.

Consumo: além da versão tradicional, também existem líquidos saborizados com ingredientes como hortelã, canela, anis, limão e laranja, que somam à água seus benefícios poderosos. “Tente beber um copo de 200 ml a cada hora. Não espere ter sede para consumi-la, afinal, isso já é sintoma de desidratação”, alerta Talitta Maciel.

Contraindicações: indivíduos com problemas renais não devem beber água em excesso, já que o rim não elimina os líquidos do corpo com eficácia. As consequências podem ser nada agradáveis: danos cardíacos e pulmonares estão entre elas.

Mais dicas para emagrecer com saúde:

by Monique Garcia

você também vai <3: