Home / Bem-Estar / Saúde / Quero parar de fumar, e agora? Por onde eu começo?

© iStock
Bem-Estar

Quero parar de fumar, e agora? Por onde eu começo?

by Ana Paula Sanches Published on 27 de agosto de 2015
259 shares

Dicas eficientes para se livrar dos cigarros de uma vez por todas

Anualmente, ele é o responsável por mais de 5 milhões de mortes pelo mundo. No Brasil, 8 a 10 pessoas vão a óbito por hora devido a problemas de saúde ocasionados por ele. Estamos falando do cigarro, vício que atinge mais de 30 milhões de brasileiros e que traz como consequências o câncer de pulmão e envelhecimento precoce.

Livrar-se dos cigarros é uma tarefa árdua, mas o primeiro passo é mais simples do que você imagina: tudo começa a partir do momento em que você se conscientiza do motivo que a levou a querer interromper o uso da nicotina, como explica o pneumologista Ciro Kirchenchtejn, coordenador do Centro de Tratamento do Tabagismo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (SP): “Por que eu quero parar de fumar? Essa pergunta é fundamental. Muitas pessoas desejam parar, mas não sabem exatamente por que motivo e, graças a essa ausência de objetivos, desistem com mais facilidade. Tenha sempre em mente o que você deseja alcançar quando parar de fumar, pois é isso que a manterá determinada em seguir a sua decisão”.

Depois de definir as motivações e metas que a levarão a abandonar o tabagismo, é hora de estabelecer uma data limite para interromper definitivamente o uso dos cigarros. “Escolha uma data para abandonar o fumo. Pode ser, por exemplo, daqui a duas semanas e, enquanto o dia não chega, você pode começar a diminuir a quantidade ou a frequência dos cigarros ao longo dos dias. Dessa forma você já vai se preparando para a abstinência total”, afirma Ciro. Segundo o médico, definir o prazo é fundamental, pois somente o abandono completo faz com que a pessoa se livre definitivamente do vício.

Como parar de fumar: vencendo a abstinência

A data chegou, você cortou definitivamente os cigarros e... já está desesperada e com vontade de fumar novamente. Calma, leitora: a fase de abstinência é a mais difícil, mas ela chegará ao fim antes do que você imagina. “A abstinência dura de 2 a 6 semanas, ou seja, apenas cerca de 1 mês. Após esse período o corpo volta a funcionar como era antes de você se tornar fumante e, assim, você se livra da dependência”, diz Ciro. Saber que em 30 dias o seu corpo voltará a ser livre de dependências químicas já é um incentivo e tanto para vencer essa fase difícil, não!? (:

Outra coisa que você precisa saber é que as crises de abstinência duram bem menos do que você imagina: no máximo, 3 minutos. Isso significa que quando bater aquela vontade incontrolável de dar uma tragada, basta você tentar direcionar o seu foco para qualquer outra coisa. Quando você menos esperar, o desejo terá passado. Sabemos que é difícil condicionar o cérebro a esquecer os cigarros, mas com força de vontade você chega lá.

Para ajudar, aqui vão algumas dicas para parar de fumar:

- Pare o que você está fazendo: quando surgir a vontade de fumar, interrompa a sua atividade e faça outra coisa. Vale dar uma volta no escritório, ler, conversar, enfim: faça qualquer coisa que a distraia.

- Coma alguma coisa light: comer é uma atitude bastante eficiente para tirar o foco dos cigarros, mas atenção: sempre prefira alimentos light ou naturais, como as famosas cenourinhas. Dessa forma você evita o ganho de peso.

- Respire fundo: respire fundo 10 vezes. Pode parecer besteira, mas a sua respiração pode ajudá-la a controlar o seu desejo.

- Tome água: barata, livre de gorduras e sem contraindicações, a água pode ser uma aliada no combate ao tabagismo. Tome dois copos sempre que julgar necessário.

- Brinque com um pau de canela: por ter o formato parecido com o de um cigarro, a canela pode aliviar o seu desejo de fumar. Para isso, faça movimentos com ela que simulem tragadas e coloque-a entre os dedos. Isso pode ajudar o seu psicológico a vencer a abstinência.

Remédios para parar de fumar: eles funcionam?

Se você deseja parar de fumar, é importante que procure um pneumologista para acompanhar o seu progresso e receitar, quando necessário, remédios que vão ajudar você a se controlar melhor. Algumas pessoas sentem uma dificuldade extrema em abandonar o fumo mesmo seguindo as dicas citadas no tópico acima e, para conseguir vencer o vício, precisam de auxílio psicológico e de remédios. O chiclete de nicotina é uma das medicações que podem ser utilizadas, como explica Ciro: “Embora seja um chiclete, esse medicamento é extremamente eficiente porque libera nicotina para o cérebro e, assim, corta na mesma hora o desejo de fumar”.

Os efeitos do chiclete são imediatos, porém muitas pessoas não o consideram eficiente. Segundo o especialista, isso acontece quando o remédio não é utilizado da maneira correta. “O certo é colocar o chiclete na boca, mastigá-lo de 6 a 8 vezes para triturá-lo e liberar a nicotina e, depois, colocá-lo entre a gengiva e a mucosa da bochecha durante mais ou menos meio minuto. Depois disso, a pessoa deve repetir o mesmo processo durante 10 minutos, alternando apenas o lado da bochecha em que o chiclete será acomodado”, explica. O maior erro das pessoas está, segundo Ciro, em mascar o chiclete ininterruptamente porque isso faz com que a nicotina diluída na saliva vá para o estômago. “Se você masca esse chiclete como se ele fosse um doce comum ele NÃO fará efeito, porque a nicotina vai para o estômago, que é ácido, e não será absorvida. A única coisa que você fará utilizando o medicamento dessa forma é irritar o seu estômago, nada mais”, completa.

Mas, qual a diferença entre os chicletes e os adesivos para parar de fumar? “Os adesivos mantêm os níveis de nicotina do corpo estáveis durante as 24h do dia, porém demoram cerca de 2h para fazerem efeito. Ou seja: numa situação de emergência, como quando surge a vontade incontrolável de tragar, eles não são úteis. Portanto, para o dia-a-dia, os adesivos são eficientes, mas caso o seu desejo de fumar surja em momentos pontuais, opte pelos chicletes”, conclui Ciro.

Parar de fumar engorda mesmo ou esse papo é balela?

Primeiramente, vamos aos fatos: o ganho de peso após o corte dos cigarros está relacionado a muitos fatores, como explica o pneumologista Alexandre Kawassaki, do Hospital 9 de Julho (SP): “O ganho de peso se deve a alguns fatores. O primeiro é que o sabor das comidas tende a melhorar após a interrupção do consumo de cigarros, pois a nicotina ‘mascara’ o paladar. Logo, ao parar de fumar, as comidas passam a ter o seu gosto realçado. Também é importante perceber que muitas pessoas substituem o prazer de fumar pelo de comer algo que consideram gostoso – em geral doces e açúcares no geral, o que contribui com os quilos extras”.

O metabolismo também é um dos responsáveis pelo aumento de medidas após deixar os cigarros de lado, como explica Ciro: “A nicotina altera o metabolismo e aumenta a adrenalina. Quando a pessoa para de fumar, seus níveis de adrenalina são diminuídos e, junto deles, a necessidade calórica também. Isso significa que se esse indivíduo parar de fumar e continuar se alimentando exatamente da mesma forma que fazia antes, suas chances de engordar são grandes, já que ele estará ingerindo mais calorias do que precisaria para fazer o seu corpo funcionar perfeitamente”. Mas, não se assuste: “A solução para isso é reduzir a ingestão de 300 a 400 calorias por dia, o que pode ser feito tranquilamente por meio de substituições simples de alimentos, ou aumentar o gasto de energia por meio de atividades como caminhadas e exercícios físicos no geral”, completa o pneumologista.

Depois de vencer a abstinência: dicas para não colocar tudo a perder

Não se esqueça de que o fumo é um vício, logo, exige vigilância constante para que não retorne. “Um dos erros mais comuns é o da pessoa se sentir segura o bastante para dar uma tragada sem se viciar. Essa atitude é a culpada pela maioria das recaídas”, afirma Alexandre. O médico afirma, ainda, que os momentos de fraqueza pessoal merecem o dobro de atenção para que se evite uma reincidência: “Às vezes a pessoa está vivendo uma fase difícil e decide fumar um cigarro para aliviar a tristeza ou o estresse. Nunca faça isso. Questione-se sempre: ‘Estou sem dinheiro, mas fumar vai resolver isso?’ ou então ‘Estou triste, mas o cigarro vai fazer o motivo da minha tristeza desaparecer?’”. A sua consciência, leitora, é a maior responsável pela força que você terá para viver sem os cigarros durante todos os anos que virão.

Mesmo depois de ler tudo isso você ainda está na dúvida sobre parar de fumar ou não? O pneumologista Alexandre tem uma última dica para você: “Nunca é tarde para parar de fumar. Sempre há benefícios, seja aos 20, 40, 60 e 80 anos”. A sua saúde agradece.

Mais saúde pra você:

• Vitamina E: benefícios que você PRECISA conhecer (o seu corpo agradece!)
• Sobre a batata-doce e seu fantástico leque de propriedades
• Pernas cansadas e com varizes? Veja causas e tratamentos aqui!
• Conheça as propriedades do óleo de coco, seu novo aliado na cozinha saudável
• Ei, sabe por que a chia faz tão bem para a saúde? Descubra agora!

by Ana Paula Sanches 259 shares

você também vai <3: